Tag: Planejamento

17
maio

Como planejar o troco no comércio e evitar o prejuízo

Talvez um dos problemas que mais dão dor de cabeça na rotina diária dos comércios seja a dificuldade em trabalhar com os chamados trocos “miúdos”. Hoje, muitas pessoas contam com o suporte de um cartão de crédito ou de débito. Mas, se por um lado a adoção dessa forma de pagamento ajuda na cobrança de valores quebrados, por outro ela diminui consideravelmente a circulação de moedas e notas pequenas nos comércios de rua. E é quando chega a hora de dar o troco para o cliente que prefere pagar em dinheiro que os problemas começam. Para isso, a solução é planejar o troco e adotar algumas ações que podem ajudar bastante a evitar indisposição com seus clientes e facilitar a gestão do seu caixa.

1- Promova a cultura de moedas na equipe de vendas

O primeiro fator que o empreendedor precisa ter em mente é que, independentemente das dificuldades em garantir o troco “miúdo”, essa é uma responsabilidade da sua empresa. Seu cliente está adquirindo um produto seu, foi até a sua loja e escolheu você. Nada mais justo do que garantir que ele saia satisfeito e seja bem tratado.

Aqui, uma boa alternativa é criar uma cultura interna para troca de moedas com a sua equipe de vendas, por exemplo. Não custa nada fazer uma reunião com os seus funcionários e criar incentivos para que eles tragam as suas moedas e os trocos menores que juntam em casa e troquem por notas mais “graúdas” com o seu caixa. Mesmo que talvez esse movimento não seja o bastante para suprir todas as necessidades com troco da sua empresa, definitivamente vai facilitar a vida de quem opera o seu caixa.

2- Pratique preços inteiros

Além de planejar o troco, outra alternativa — um pouco mais ousada — é arredondar os seus preços. Não é segredo que alguns preços possuem um apelo emocional bastante tentador. Os famosos R$ 19,50, R$ 49,00 ou R$ 99,90 podem fazer com que o cliente sinta a compulsão por comprar, mas quando o empreendedor escolhe trabalhar com esses valores atraentes, é preciso lembrar que o seu negócio vai precisar garantir o troco.

Uma opção é fazer uma revisão do seu planejamento de vendas e a formação de preço para, talvez, trabalhar com valores inteiros. Ao invés de anunciar um produto por R$ 49,00, por exemplo, você pode fixar o preço em R$ 50,00 e evitar a necessidade de ter de voltar R$ 1,00 de troco no processo de compra — vale também diminuir o preço para um valor inteiro mais baixo e compensar essa redução subindo um pouco o valor de algum outro produto que também tenha boas vendas.

3- Organize seu caixa com antecedência

Uma situação bastante comum no comércio de rua é recorrer aos negócios e estabelecimentos vizinhos em busca de troco quando o caixa é surpreendido pela falta de notas pequenas ou moedas. Além de mostrar um pouco de despreparo por parte da sua equipe, fazer o cliente esperar para sair da loja nunca é uma boa alternativa — há casos mais extremos em que ele pode até mesmo desistir da compra. Por isso, vale organizar o seu caixa com antecedência.

Para planejar o troco, prepare pequenos pacotes com valores definidos em moedas e notas pequenas de valores variados depois do fechamento da semana, por exemplo, e coloque-os à disposição do caixa todos os dias pela manhã. Trocar suas notas “graúdas” por algumas pequenas sempre que possível também otimiza esse processo, sempre com o cuidado, é claro, de não misturar o seu caixa com as finanças pessoais.

4- Faça saques periodicamente

Você já deve ter se deparado com alguns bancos que trabalham com caixas eletrônicos separados por tipos de cédula. Por exemplo, existem máquinas que trabalham apenas com notas de R$ 2,00 ou R$ 5,00, voltadas especificamente para saques de valores menores. Ao se deparar com um caixa assim, o empreendedor pode se organizar para, em algum momento da semana, visitar a agência bancária e sacar valores um pouco mais elevados. Basta fazer as contas: se você sacar algo como R$ 95,00 em um caixa assim, é possível sair da agência com 19 cédulas de R$5,00, que com certeza vão ajudar bastante o seu caixa na hora de providenciar o troco corretamente.

5- A tecnologia pode ajudar a planejar o troco

Existem ainda algumas alternativas mais inovadoras que colocam a tecnologia a serviço do troco. O aplicativo da Troco Simples, por exemplo, oferece uma solução inteligente e prática que permite que os comerciantes cadastrados ofereçam o troco em crédito no CPF do cliente, em vez retornar o dinheiro em moedas ou cédulas.

Assim, os consumidores podem calcular os valores, que renderão juros e outras vantagens, como prêmios e a possibilidade de colocar créditos no celular. Para os clientes participarem, como o próprio nome do aplicativo indica, é simples também: basta que se cadastrem gratuitamente no sistema. E aí é importante o comerciante mostrar os benefícios e incentivar as pessoas a fazerem isso. Quanto mais consumidores estiverem participando, menor será a preocupação em ter moedas e cédulas de menor valor para dar como troco!