Tag: Guardar dinheiro

24
out

Guardar dinheiro em casa não é o melhor negócio para economizar

Desde criança a gente aprende a colocar as moedas que recebemos de troco no cofrinho, seja ele um porquinho, seja uma lata ou mesmo uma garrafa de plástico. É difícil encontrar alguém que nunca tenha feito isso pelo menos em uma fase da vida. Mas será que guardar dinheiro dessa forma é realmente um bom negócio? De maneira convicta, nós respondemos que não. E vamos mostrar a você quais são as desvantagens dessa prática.

Guardar dinheiro é sinônimo de boa administração dos recursos, afinal, significa que a pessoa não gasta de maneira indiscriminada e se preocupa em poupar para algum objetivo específico ou para uma possível emergência. E é isso mesmo! Trata-se de uma atitude correta e inteligente. O problema está na forma como esses valores são poupados.

Quando você guarda dinheiro em casa, ele fica ali parado, depreciando, quer dizer, perdendo valor por conta da ação da inflação. Vamos explicar melhor: se um montante de R$ 300 em moedas for utilizado agora, ele terá um certo poder de compra, capaz de adquirir uma determinada quantia de alimentos, por exemplo.

Agora, se a pessoa deixar esses mesmos R$ 300 parados durante um ano, esse valor perderá poder de compra. Considerando a inflação de 2016 medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), que foi de 6,29%, aquela quantia de alimentos estará R$ 18,87 mais cara, custando R$ 318,87. Assim, o montante acumulado não será mais suficiente.
O mesmo cálculo vale para quem tem a prática de guardar dinheiro para viajar. As passagens ficam mais caras, assim como as diárias dos hotéis e tudo o que você for comprar no próprio local de destino. Então, aquele planejamento inicial pode ser um pouco prejudicado se os valores estiverem guardados em casa, parados e sob a ação da inflação.

Guardar dinheiro deve significar valorização

Se guardar dinheiro em casa não é o melhor negócio, qual prática devemos adotar? Alguma que evite a depreciação e, de preferência, valorize a quantia que você tem acumulado. Assim, o poder de compra é preservado e há a possibilidade de que ele seja ampliado.

Isso pode ser feito por meio de aplicações em bancos, instituições financeiras ou empresas. Em qualquer uma dessas opções, os valores depositados renderão juros e, dependendo do percentual, esse rendimento pode corrigir a inflação ― que já é algo positivo ― ou mesmo valorizar, permitindo que a quantia aumente.

Digamos que você tenha depositado R$ 400 em uma aplicação que, em um ano, ofereceu rendimentos de 5%. Se a inflação foi de 3%, houve, nesse caso, um ganho. A inflação gerou uma perda de R$ 12 e o rendimento ficou em R$ 20, gerando um saldo positivo de R$ 8. Pode até parecer pouco, mas qualquer lucro é bem-vindo, não é mesmo?

Segurança do dinheiro

Além da desvalorização, a prática de guardar dinheiro em casa também compromete a segurança dos valores. Primeiro, porque é muito fácil perder moedas e outros trocados. Podem cair em qualquer canto e ficar lá por um bom tempo, assim como também há uma chance de ficarem escondidos em gavetas.

Mudanças ou quaisquer outras alterações feitas na casa podem fazer com que as moedas e as cédulas de menor valor se percam. O cofrinho pode ir parar em um lugar que ninguém mais encontra, por exemplo. E aí todo aquele esforço de guardar cada centavo terá sido em vão.

Deu para perceber que guardar dinheiro em casa tem muitas desvantagens, não é verdade? Então, agora é hora de buscar uma solução. Para resolver aquela questão das moedas devolvidas na padaria, no supermercado ou em algum outro estabelecimento comercial, a Troco Simples oferece uma alternativa que se encaixa perfeitamente na ideia que abordamos até aqui.

Por meio de um aplicativo, você recebe o troco do comércio em créditos no seu CPF, ou seja, não precisa ficar com moedas e levá-las para casa. Entre outras vantagens, como prêmios e a possibilidade de fazer recarga no celular, esse dinheiro pode render até 6% ao ano, proporcionando sua valorização ao invés de ficar esquecido numa gaveta e sofrendo depreciação.

Para utilizar, basta baixar o aplicativo, se cadastrar e procurar um estabelecimento que também seja cadastrado. Se aquele seu restaurante favorito ainda não utiliza, apresente o sistema e mostre o que o comércio ganha ao não ficar dependendo tanto das moedas no caixa. Assim, todos saem ganhando!

E por falar em receber o troco em moedas, que tal descobrir quanto dinheiro perdemos ao aceitá-lo assim? Baixe nosso infográfico e entenda!

Para receber outras dicas, continue acessando nosso blog.