Tag: Comércio

19
abr

KPIs para o comércio: meça seu desempenho e amplie o seu sucesso

Quando você abre uma loja, o sucesso depende de uma série de fatores. De nada adianta ter uma ideia brilhante e um talento nato para os negócios, oferecer produtos de qualidade e ter um público-alvo definido se, no momento do planejamento, pequenos pecados passarem a minar o seu negócio, fazendo-o ruir. Por isso, é essencial traçar metas e planejar bem suas ações. E é nesse momento que entra a importância dos KPIs para o comércio.

É certo que ter um bom planejamento estratégico é ponto determinante para o sucesso dos seus negócios. Mas como avaliar se este planejamento, criado e desenvolvido com todo cuidado, está realmente sendo aplicado de maneira assertiva, indo ao encontro das necessidades e dos objetivos da sua empresa? Para responder a esta pergunta e descobrir se o seu planejamento está de fato saindo do papel, foram desenvolvidos os indicadores-chave de desempenho, mais conhecidos como KPIs (Key Performance Indicator, em inglês).

Utilizados em empresas de todos os portes e segmentos, os KPIs são ferramentas que se utilizam das metas estabelecidas pelos empreendedores para avaliar se o negócio está ou não tendo sucesso a partir do planejamento traçado. Ou seja, os KPIs medem o sucesso das estratégias desenhadas pelos profissionais.

Para o comércio, por exemplo, os KPIs são essenciais porque ajudam na hora de definir qual o momento ideal para ampliar os investimentos, desenvolver novas ações e dar os próximos passos com segurança, sem riscos e sem medo da recessão.

O que são KPIs

Os KPIs quantificam a performance das empresas, levando em consideração os objetivos traçados no planejamento. Quer dizer, são índices que apontam o nível de sucesso de um negócio a partir das metas estabelecidas para um período determinado, permitindo acompanhar os resultados reais alcançados e o percentual de crescimento comparado aos números obtidos no período anterior.

Vamos a um exemplo prático: um time de vôlei está em reta final de temporada e decide realizar promoções de todos os seus produtos, como camisas, bandeiras, bonés e copos personalizados. Nesta ação, podemos listar o KPI de vendas, que irá avaliar quantos itens de cada segmento são vendidos durante este período de promoção e a lucratividade obtida por eles.

A partir daí, será possível avaliar se promoções assim são lucrativas ou não. Esses dois indicadores são essenciais para que a equipe conheça a situação do seu público e da sua loja e para que consiga avaliar se existe a necessidade de adotar essa mesma medida no final da próxima temporada, por exemplo.

Os KPIs para o comércio trabalham no sentido de estabelecer uma relação entre os dados. No caso da loja do time de vôlei, se no momento de avaliar os números somente for levada em consideração a quantidade de camisas ou de bonés vendidos em alguns dias, sem estabelecer uma relação com um período anterior, teremos apenas uma métrica, uma parte do todo. Mas, quando fazemos o recorte para a venda de produtos específicos em uma determinada promoção para verificar a lucratividade, temos indicadores ligados às metas traçadas no início da temporada.

Portanto, os KPIs são informações estratégicas essenciais no momento de tomadas de decisões, pois com eles é possível cruzar de maneira as informações reais de desempenho com as metas traçadas para determinado período, garantindo a segurança dos dados.

Os mais importantes KPIs para o comércio

Confira os principais KPIs para o comércio:

– Taxa de conversão: Conseguir medir a eficiência das estratégias de vendas é essencial para o comércio. Sendo assim, a taxa de conversão se apresenta como um importante KPI. Por exemplo, se você registrou a visita de 500 clientes em um dia e 50 deles efetivaram a compra, sua taxa de conversão foi de 10%. Estar atento à variação desse indicador é fundamental para entender fatores que impactam diretamente nas vendas, como a abordagem e o tratamento dos vendedores para com os clientes, os preços e as condições financeiras dos consumidores.

– Ticket médio: O ticket médio serve para medir desempenhos e, neste caso, pode ser tanto o desempenho dos vendedores quanto o dos consumidores. No caso dos vendedores, o ticket médio é o faturamento total em um período determinado dividido pelo volume de vendas. Com isso, você consegue entender quanto é o faturamento do seu vendedor. Já para analisar o desempenho dos seus clientes, basta dividir o número de compras em um período pelo volume gasto. Assim, você poderá ter o resultado de quais clientes mais gastam em sua loja.

– CAC: O Custo de Aquisição de Clientes (CAC) mede o quanto o seu comércio gasta para gerar uma nova venda. E o cálculo é bastante simples. É necessário dividir o investimento realizado em marketing e vendas pela quantidade de clientes, também estabelecendo um período específico. Dessa maneira, você consegue quantificar os valores gastos para converter um novo cliente e, de acordo com os resultados, poderá otimizar os investimentos nestes setores relacionados.

– Taxa de recompra: A taxa de recompra é uma das formas de medir a satisfação do seu cliente. Para calcular, basta extrair o percentual de consumidores que já compraram e retornaram.

Se você ainda não aplica os KPIs para o comércio, comece agora mesmo, pois, como vimos, eles são vitais para medir o sucesso do seu negócio. E por falar em bons resultados, a Troco Simples quer ajudar sua loja a obtê-los. Para isso, oferecemos um aplicativo que converte o troco em vantagens para você e seus clientes. Clique aqui e conheça melhor!

12
abr

Planejamento de vendas: uma arma essencial para alavancar o seu negócio

Planejar antes de se aventurar é uma prática comum quando pensamos uma viagem, certo? E por que costumamos fazer isso? Porque queremos otimizar o tempo para conseguir usufruir o máximo possível daquele lugar que, geralmente, esperamos muito para conhecer. Ou seja, o planejamento serve para que possamos ter um melhor aproveitamento cruzando tempo e custo. Se é assim na vida pessoal, não é diferente nos negócios, que exige o planejamento de vendas — o momento de traçar estratégias assertivas para que o trabalho possa fluir com mais eficiência. Para ajudá-lo nesta missão, elencamos pontos importantes que você deve levar em consideração na hora de planejar as vendas na sua loja. Acompanhe!

Analisar para planejar

Analisar os passos dados até então é essencial para entender como as ações realizadas estão impactando nos negócios, não é mesmo? Pense em como um treinador de basquete prepara a sua equipe para as partidas. A comissão técnica costuma separar vídeos e dados a respeito da equipe adversária e do próprio time. O objetivo? A análise. O exercício é fundamental para corrigir questões como erros de posicionamento, problemas táticos e de jogadas. A partir disso, é possível traçar uma nova estratégia para o próximo confronto.

No seu negócio não pode ser diferente. É necessário analisar o período anterior e entender em que posição sua empresa se encontra agora. Identifique quais foram as maiores dificuldades, onde ocorreram os principais problemas, como foi o fluxo de vendas, como foi a atração de novos clientes e a abordagem e quais foram as condições de pagamento e negociação ofertadas, por exemplo. É necessário compreender também as especificações dos seus produtos e se eles estão atendendo às necessidades dos seus clientes, como foi o preparo da sua equipe de vendas, qual o desempenho do pós-venda e se houve problemas de logística.

Com esse diagnóstico, assim como na equipe de basquete, é possível identificar falhas, saber o que precisa mudar e quais são os pontos que você está acertando. Com isso, sua empresa consegue potencializar o que já dá certo para atrair novos clientes, além de fidelizar os que já possui.

O planejamento de vendas precisa incluir toda a equipe

Não adianta de nada estudar, captar dados, analisar e planejar ações se você não consegue engajar quem faz a máquina girar. É muito importante você vestir a camisa, mas é imprescindível que sua equipe também vista. São os funcionários que propagam a imagem do seu negócio, afinal, é com eles que o seu cliente tem a primeira impressão.

Além disso, capacitar sua equipe de vendas é essencial para que ela se apresente ao cliente não apenas como quem quer vender a todo custo, mas, sim, como uma especialista que está levando a solução procurada. A partir disso, seus colaboradores passarão a entender o comportamento e as necessidades do seu cliente e a propor soluções que atendam às suas expectativas de maneira objetiva e prática.

Você precisa, ainda, estabelecer um modelo de comunicação eficiente, tornando o seu negócio um pequeno universo conectado. E é importante ter o feedback da sua equipe para isso. Assim, as correções e melhorias ficam mais claras.

Identifique seu público-alvo

Identificar o seu público-alvo é crucial para o sucesso do seu planejamento de vendas. Embora em um primeiro momento ele possa parecer heterogêneo, você precisa estar atento aos grupos que o compõem e às suas particularidades para que possa traçar metas específicas para cada um deles.

Projete e estabeleça metas

Trace metas. Com elas você pulveriza o objetivo final e consegue segmentar as ações, potencializando as chances de sucesso. A partir dessas metas, projete ações e táticas de acordo com o seu público-alvo. Assim, você passará a atuar com assertividade, direcionando melhor suas estratégias para cada grupo de clientes. Consequentemente, vai alavancar suas vendas.

Invista em soluções e se organize

Ter um planejamento de vendas é ter um manual, um norte de como agir para potencializar seus resultados e conquistar mais clientes.

Mas, aliado ao planejamento de vendas, algumas outras soluções precisam ser pensadas para garantir a boa experiência dos seus clientes. Uma delas é o aplicativo Troco Simples. Com ele, sua empresa fica sempre organizada e tranquila ao lidar com o troco diariamente, garantindo a satisfação dos clientes, a agilidade no atendimento e um fechamento de caixa sempre em dia! Isso porque o troco dos clientes passa a ser virtual, creditado diretamente no CPF e com integração ao seu sistema.

Muito bom, não é verdade? E há muitos outros benefícios que o Troco Simples pode proporcionar ao seu estabelecimento, principalmente quando atrelado ao planejamento de vendas. Clique aqui, veja em detalhes como o aplicativo funciona e boas vendas!

5
abr

Crescimento do comércio em 2018: não deixe sua empresa perder esse momento

O comércio fechou o ano de 2017 comemorando a retomada do crescimento e do consumo. O setor que passou por momentos difíceis e de recessão começou a enxergar a luz no fim do túnel já no ano passado e tem, em 2018, melhores expectativas. E não é para menos: com taxas de juros caindo e busca facilitada por crédito, o crescimento nas vendas é quase que inevitável. Inclusive, a CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo) divulgou, recentemente, uma pesquisa apontando que a perspectiva para o desempenho das vendas é de alta de 5,2% para este ano. Com isso, é impossível não pensar em um cenário de crescimento do comércio, não é verdade?

A perspectiva otimista de crescimento nas vendas é boa? Sim! Mas isso não dispensa a necessidade de programar estratégias de vendas e atendimento para aproveitar ao máximo este novo ciclo e, claro, sair na frente da concorrência. Afinal, não dá para perder o bonde que está andando e acelerando!

Dicas para aproveitar o crescimento do comércio

Por isso, neste artigo nós separamos algumas dicas que podem ajudar você a organizar e otimizar estratégias de vendas para aproveitar esse ritmo de crescimento do comércio. Confira!

Tenha proatividade nas vendas

O momento é de crescimento do comércio e confiança dos consumidores em poder investir naquele produto desejado e almejado há tempos, mas que estava engavetado devido à recessão. Mas isso não significa que os consumidores sairão gastando enlouquecidamente. Eles farão isso da maneira que for conveniente e necessária e cabe ao comerciante ser proativo e mostrar a ele o quanto seu produto é interessante, suas condições são favoráveis e todo o leque de vantagens que o diferencia do concorrente.

Por isso, não se pode esperar que a venda aconteça por um milagre. A iniciativa do comerciante é o pontapé inicial que vai demonstrar interesse especial em cada cliente. Fazer contato com os clientes por telefone, e-mail e até mesmo utilizar a tecnologia pode ser uma arma a mais na divulgação dos seus produtos e ofertas.

Trace metas e planeje ciclos

Vender, fidelizar seus clientes e tratá-los bem são os objetivos do comércio, certo? Esses são objetivos gerais e costumam nortear todos os comerciantes, afinal, são as bases para a longevidade de um negócio. Mas, e as metas pontuais? E os ciclos? Eles estão entre suas prioridades? Como falamos, este é um momento de retomada de crescimento do comércio após um período longo em que o comércio teve que segurar as pontas.

E como todo recomeço, o momento exige planejamento e organização. Portanto, para aproveitar ao máximo o potencial de consumo dos seus clientes, trace metas junto à sua equipe, pois elas servem como base e também como incentivo. Além disso, planejar ciclos abordando questões como as metas de vendas, ações de marketing e de engajamento dos clientes e campanhas de aproximação dos colaboradores, clientes e até mesmo fornecedores serve para impulsionar suas vendas, além de permitir avaliar o seu público e como suas ações são recebidas por ele.

Faça reuniões e qualifique sua equipe

Reuniões com a equipe são essenciais para identificar possíveis erros nas vendas, no atendimento, no estoque, enfim, em todo o processo. É a partir desses encontros que você consegue desenhar melhor a semana do seu comércio, corrigindo falhas em todas as etapas. Além disso, este momento pode ser utilizado também para qualificar seus colaboradores. Lembre-se: bom atendimento gera conversão de vendas, fideliza e atrai novos clientes.

Negocie

Um dos segredos para o sucesso no comércio é ter uma boa relação com os fornecedores, tanto no que diz respeito à pontualidade na entrega quanto nas negociações de valores. Negociar é preciso! Uma compra bem feita pode resultar em uma venda melhor ainda, por isso, não deixe de negociar com seu fornecedor.

Porém, tenha sempre em mente que uma boa compra não se limita a um preço favorável e boas condições de pagamento. Você precisa estar atento às necessidades do seu público-alvo. Preze pela qualidade e pela usabilidade dos produtos, pois não adianta entupir a sua loja de itens se eles não forem atrativos — isso vai na contramão de um bom planejamento e da lucratividade.

Use e abuse da tecnologia

As pessoas estão conectadas pelo smartphone. A frase já virou clichê, mas precisa ser levada a sério. Você precisa estar atento a essa realidade para inserir o seu negócio nessa grande bolha também! As pessoas utilizam o mundo digital para praticamente tudo, desde manter contato com familiares e efetuar pagamentos no aplicativo do banco até, é claro, comprar.

Então, estar fora da internet é deixar de atender a um público que já é enorme e que continua crescendo a cada dia. Disponibilizar opções online, além de aumentar o seu alcance, também se torna um chamariz para que quem tem possibilidade geográfica conheça o seu espaço físico, permitindo aquela proximidade que já citamos aqui no post.

Falando nisso, utilize as redes sociais para divulgar o seu trabalho! As pessoas gostam de conhecer o ambiente em que compram, saber como é o dia a dia e conhecer as novidades assim que elas chegam à sua loja. E você pode divulgar tudo isso em canais como Facebook, Instagram e YouTube, por exemplo.

Tenha sempre troco à mão

Existem algumas situações que às vezes parecem detalhes, mas que, na verdade, são capazes de fazer o cliente decidir se volta ou não à sua loja ou se efetiva ou desiste da compra que estava fazendo. Uma delas é a falta de troco.

Imagine-se em época de Páscoa indo a uma loja especializada em chocolates. É claro que a demanda e o movimento estão intensos. Você esqueceu o cartão, tem apenas dinheiro, porém, o caixa não possui troco. O que você faria? É bem provável que desistiria da compra, não é verdade?

Quer dizer: o troco é essencial para, além de converter a venda, transmitir a imagem de organização que você tanto trabalha para conseguir e manter. Claro que imprevistos acontecem, mas o consumidor não pode pagar a conta por isso. E não dá mais para depender das moedinhas.

A boa notícia é que a tecnologia está alinhada a este momento de crescimento do comércio e pode ser uma grande aliada do seu negócio. A Troco Simples, por exemplo, tem a solução ideal para evitar problemas pela falta de troco. Nosso aplicativo permite que os comerciantes cadastrados ofereçam o troco em crédito concedido diretamente no CPF do cliente. Dessa maneira, evita-se o retorno em dinheiro e os consumidores conseguem calcular os valores que, inclusive, rendem juros e outras vantagens, como prêmios e a possibilidade de conversão em crédito para o celular.

Para que os clientes possam participar, é muito simples, basta que realizem um cadastro gratuito no sistema e pronto! Ao comerciante fica a missão de mostrar aos clientes as vantagens de migrar do troco tradicional para o Troco Simples, que concede muitos benefícios a ambas as partes.

Então, não perca mais tempo! Conheça o Troco Simples e veja em detalhes como ele pode ser vantajoso para o seu dia a dia!

27
mar

Vendas de Páscoa: saiba como se preparar para obter bons resultados

O crescimento econômico iniciado no ano passado tem tudo para continuar em 2018. É o que apontam as projeções realizadas pela CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo). De acordo com elas, a perspectiva para o desempenho das vendas do varejo é de crescimento de 5,2% para este ano. Por isso, o comércio precisa estar muito bem preparado, especialmente quando falamos em datas comemorativas. Sendo assim, pensar em ações e estratégias considerando o período de vendas de Páscoa é essencial.

E o cenário positivo do mercado consegue impulsionar muito mais do que o nicho específico de chocolates. O otimismo em relação à retomada da economia consegue alavancar o consumo não apenas de produtos tradicionais, mas também de opções diversas de olho em agradar as pessoas que dispensam o ovo de Páscoa.

Atentos a isso, os comerciantes vivem um misto de ansiedade e pé no chão. De um lado, a expectativa por uma das datas mais significativas do calendário comercial. De outro, aquele receio de apostar em uma retomada ainda tímida. Diante desse dilema, nós preparamos este artigo com algumas dicas para que os comerciantes possam se preparar para esta data que, de acordo com as projeções, terá alta de vendas em relação ao ano passado.

A Páscoa já é no domingo? É sim! Mas ainda dá tempo de planejar ações e atrair clientes. Confira!

Preço baixo aliado à inovação pode ajudar nas vendas de Páscoa

O preço é sempre aquele fator determinante na vida de um consumidor. Se ele encontra um produto de duas marcas diferentes, com a mesma qualidade, o preço mais acessível vai pesar e, naturalmente, será o escolhido na hora de ganhar espaço no carrinho de compras. Mas não é só o preço que conta e que chama a atenção dos consumidores. Ele é uma ótima estratégia para atrair clientes, claro, mas você não pode esquecer de outros fatores que influenciam tanto quanto o valor da etiqueta.

Apostar em inovação e tecnologia, em um primeiro momento, pode parecer não fazer sentido quando você pensa na atração de clientes. Mas focar sua atenção no comportamento do seu consumidor, na sua experiência de compra e naquilo que você é capaz de oferecer passa muito pela inovação e tecnologia que seu negócio pode e deve aplicar.

Entender que as vendas de Páscoa estão relacionadas a diversos fatores na vida dos consumidores e que a data não se limita a chocolates é essencial para inovar no seu leque de opções e conseguir atingir os clientes que, por vezes, querem presentear aqueles que não se importam com os doces. É aí que entra a importância de entender as necessidades dos seu público e estar disposto a inovar no momento de oferecer os seus produtos em datas específicas. Dedique um tempo para organizar ideias e planejar suas vendas na Páscoa indo além do tradicional.

Entre produtos e serviços que podem ser considerados, estão, por exemplo, viagens para que as pessoas aproveitem o feriado, descontos em almoço de Páscoa e outras ofertas que sugiram descanso e momentos de descontração.

Seja criativo e invista em decoração

A Páscoa está aí, mas ainda dá tempo de deixar sua loja à caráter. Apostar em decoração temática é sempre uma boa pedida. Os consumidores também são atraídos pelos olhos,por aquilo que chama a atenção, é mais bonito e bem preparado. Então, invista em decoração, pois o retorno pode ser melhor do que você espera!

Às vezes, o cliente está na rua, apenas “olhando”, sem a intenção de adquirir nada, mas a temática acaba ativando gatilhos que o levam para memórias de infância e esse emocional pode estimular o interesse e, consequentemente, alavancar as vendas de Páscoa da sua loja.

Além da decoração, aposte em embalagens criativas, que fujam do lugar comum, que sejam personalizadas e que façam com que o cliente se sinta especial.

Utilize as mídias sociais

Ainda dá tempo! No universo da internet, as informações correm. Por isso, desenvolver ações estratégicas nas mídias sociais pode ter um alcance que você não consegue imaginar em um tempo recorde.

Mesmo que sua loja já desenvolva um trabalho com as mídias sociais, é imprescindível que, em datas comemorativas e de maior apelo comercial, as ações sejam ampliadas e direcionadas. Portanto, foque em estratégias diferenciadas, com posts específicos de produtos, dicas de consumo ou uso, criação de enquetes e que estimulem a participação dos usuários. Traga os clientes para perto de você! Essa é uma estratégia que funciona no curto prazo, mas que acaba também por fidelizar o seu público, que percebe a preocupação em criar conteúdos especiais para ele.

Troco? Sempre na mão!

Com o aumento nas vendas de Páscoa, é natural que as lojas fiquem cheias. Porém, um problema pode vir junto com o movimento: a falta de troco. É difícil encontrar um comerciante que nunca passou por isso.

A falta de troco pode ser o motivo pelo qual aquele cliente deixou os produtos que pretendia comprar no meio do caminho e foi na loja vizinha, onde conseguiu comprar com mais agilidade e sem se incomodar na hora de chegar ao caixa.

Portanto, não minimize a importância de ter sempre o troco à mão. Junto com a otimização do atendimento, você demonstra organização e preocupação com a experiência do seu cliente, desde o momento em que você o capta até a finalização da compra. Este é um bom passo para fidelizá-lo, garantindo que ele volte a comprar com você após esta data comemorativa.

Além de ter troco disponível o tempo todo, que tal pensar em maneiras alternativas e tecnológicas de oferecer uma nova experiência ao seu cliente sem que ele se preocupe com as moedinhas? A Troco Simples criou uma solução para comerciantes que vivem no sufoco pelo troco e para clientes que costumam deixar o dinheiro em algum lugar em algum lugar que não seja a carteira. Um aplicativo prático e simples que pode ser acessado do celular!

O aplicativo Troco Simples permite que os comerciantes cadastrados ofereçam o troco em crédito diretamente no CPF do cliente, assim, não há retorno em dinheiro. Já os consumidores conseguem calcular os valores recebidos, os rendimentos com juros e outras vantagens, como prêmios e a possibilidade de converter o troco em crédito para celular, por exemplo.

Conheça o Troco Simples e acompanhe em detalhes como o aplicativo funciona e como ele pode ser vantajoso tanto para você, comerciante, como para o seu cliente. É simples!

10
out

Como evitar o desgaste com os clientes por falta de troco no comércio

O consumidor vai fazer o pagamento, dá uma nota de R$ 10, R$ 20 ou R$ 50, o comerciante olha para o caixa e não encontra moedas ou notas de menor valor para devolver. Com isso, a pessoa, que muitas vezes está com pressa, precisa esperar enquanto uma solução é procurada. Esse é um roteiro bastante conhecido no mercado e muita gente deve enfrentá-lo mais de uma vez por dia. O desgaste com o cliente por falta de troco no comércio acaba, infelizmente, sendo algo muito comum.

E isso pode ter um impacto maior ou menor, dependendo do humor e da paciência do cliente. Alguns entendem a situação com mais facilidade e outros, por conta de uma série de fatores, se irritam e podem até mesmo perder o controle em um caso mais extremo. Independentemente do grau de incômodo gerado, ele deve ser evitado pelos comerciantes.

Problemas acontecem e ninguém está imune a eles, mas o consumidor não deve, em hipótese alguma, ser penalizado. Até porque a primeira coisa que ele pensa é: se a loja não tem troco, a culpa não é minha. Por que eu tenho que ficar aqui esperando e pagando o preço pela falta de organização? Essa é uma pergunta que também surge.

Por mais que você saiba que a questão não seja a falta de organização, é fundamental entender a situação do cliente e não entrar em conflito. Afinal, ele entende que está pagando por um produto ou serviço e que, por isso, merece receber um atendimento de qualidade.

Como evitar o desgaste com o cliente por falta de troco no comércio

Uma maneira de evitar esse desgaste por falta de troco no comércio, portanto, é justamente entender que, de fato, o cliente merece um bom atendimento. E isso inclui o cumprimento da legislação e o respeito ao direito do consumidor. Algumas práticas regularmente utilizadas por estabelecimentos comerciais quando há falta de troco são ilegais.

Uma delas é a oferta de balas, chicletes e outros itens menores no lugar do troco, ação que pode ser considerada venda casada, ou seja, condicionar a venda de um produto a outro, o que é proibido pelo Código de Defesa do Consumidor. Isso porque o cliente quer levar determinado produto e, devido à falta de troco, é obrigado a levar outro.

Da mesma forma, arredondar o valor para cima, como nos casos de preços a R$ 1,99, também é uma prática ilegal, podendo ser considerada enriquecimento ilícito, pois o estabelecimento estaria lucrando indevidamente às custas do patrimônio alheio.

Além disso, arredondar o valor para cima também pode ser interpretado como propaganda enganosa, já que o produto foi anunciado com um preço e, na hora de pagar, ele é cobrado com outro.

Tanto a bala quanto o arredondamento para cima podem parecer ações corriqueiras e normais, mas, como vimos, são ilegais. E mesmo que não fossem, deveriam ser eliminadas, porque demonstram pouco respeito ao consumidor e geram o desgaste que poderia ser evitado.

Quando há falta de troco no comércio, a lei determina que o estabelecimento arredonde o valor para baixo. No caso de uma conta de R$ 10,98, por exemplo, o comerciante deve devolver R$ 0,05. Se ele não tiver essa quantia, passa para R$ 0,10, R$ 0,25 e assim por diante. É obrigação da empresa devolver o troco corretamente.

Resolvido o problema do desgaste com os clientes, pode surgir aqui outro dilema. Ao ter que arredondar o valor para baixo, o estabelecimento pode, dependendo da frequência, acabar tendo um prejuízo, já que estará abrindo mão de um valor que foi devidamente calculado dentro de uma margem de lucro. Um supermercado, por exemplo, pode perder uma quantia considerável dessa maneira.

Mas aí a solução não seria arredondar os valores no momento da precificação? Quem é comerciante sabe que os números acabam ficando quebrados por conta da disputa com a concorrência, principalmente em supermercados, em que as diferenças ficam em poucos centavos.

Como resolver tudo isso, então? Não dependendo tanto de moedas e notas de menor valor para devolver o troco. Existem soluções tecnológicas que cumprem essa função, dando ao comerciante a flexibilidade e tirando a preocupação de ficar sempre abastecendo o caixa com trocados.

Entre as alternativas está o aplicativo Troco Simples, que consiste em um sistema pelo qual os comerciantes devidamente cadastrados podem oferecer o troco em crédito no CPF do cliente, em vez retornar o dinheiro em moedas ou cédulas. Os clientes podem acumular os valores e obter algumas vantagens, como valorização do dinheiro e prêmios.

Gostou da ideia? Conheça melhor o aplicativo Troco Simples e saiba como ele pode ajudar seu estabelecimento a resolver o problema da falta de troco e atuar também na fidelização de clientes. Converse com a gente!