Troco Simples

21
jul

Educação financeira: Quando começar a ensinar?

Saber lidar com o dinheiro tem se tornado cada vez mais importante, principalmente quando se trata de um país em crise econômica. A educação financeira das crianças deve ser ensinada desde cedo, quanto mais cedo ela for instruída a administrar corretamente seu dinheiro, mais fácil será se tornar um adulto bem-sucedido e sem dívidas.

É interessante ensinar para o seu filho, que nem tudo o que ele vê nos comerciais, nas propagandas e na internet é para comprar, mas qual é o momento certo para começar a ensinar?

Quando iniciar a educação financeira

Educação Financeira Infância

Os primeiros passos na infância

O primeiro contato que uma criança tem com o dinheiro, é quando ela começa a demonstrar seus desejos próprios e isso começa bem cedo, por volta dos três ou quatro anos! Já nessa fase, é importante que a criança aprenda algumas coisas básicas;

  • Valorizar seus brinquedos, roupas e alimento. Faze-la entender que essas coisas significam muito mais do que seu preço.
  • Faça com que ela mereça ganhar seus presentes, não a presenteie a todo momento e por qualquer razão.
  • Ensine que é interessante repartir quando temos muito com aqueles que tem pouco.

O primeiro contato com dinheiro

Com 6 ou 7 anos, será o momento onde a criança começará a ter contato com suas primeiras operações matemáticas, sendo possível então introduzir o tema em situações cotidianas, como em uma ida ao mercado ou à feira.

  • Ensine que as cédulas, cartões e cheques não sou objetos mágicos. Ou seja, para eles existirem foi necessário muito esforço e trabalho.
  • Deixe claro que nem sempre as marcas mais caras são as melhores a ser consumidas, e que existem marcas mais em conta que possuem a mesma qualidade.
  • Dê um cofre para a criança guardar suas moedinhas para que ela realize algum sonho de consumo. Uma bola ou uma boneca que ela conquiste através de sua disciplina é uma poderosa ferramenta de ensino, a criança levará esses valores para o resto da vida.

Introdução da mesada

A partir dos 8 aos 14 insira a mesada, que deve ser encarada única e exclusivamente como um instrumento de educação financeira, evitando relaciona-la com atividades como desempenho escolar ou tarefas domésticas. A criança deve entender que essas são suas obrigações, sem necessariamente ser recompensada por isso.

  • Estabeleça um valor mensal, não precisa ser muito, o ideal é um real por idade, por exemplo, se ele tem 8 anos, ganhará 8 reais por semana, ou estabeleça um valor por mês.
  • Ensine a criança a fazer suas escolhas, comprar algo hoje ou poupar para algo maior no futuro, e coisas assim.
  • Ensine a importância de poupar o dinheiro e não o gastar todo de uma vez só.

Estimulando a independência

A partir dos 15 anos estimule-a a ter vontade de ganhar o próprio dinheiro, não necessariamente com um emprego fixo, mas fazendo pequenos trabalhos.

  • Aos poucos, passe ao adolescente a responsabilidade de arcar com algumas despesas, como colocar créditos no seu próprio celular ou ajudar com metade de alguma conta da casa.
  • Se preferir, abra uma poupança em nome dele em banco, e deixe que ele defina a quantidade que irá poupar.

Lembre-se: o maior exemplo na educação das crianças será sempre os seus pais. Se você quer que seus filhos sigam suas instruções, é preciso mostra-los na prática como isso funciona e influencia em sua vida.

‘’O exemplo não é a melhor forma de ensinar, é a única!” (Albert Schweizer)

Não deixe para depois, quanto mais cedo você começar a ensinar sobre educação financeira, maior a probabilidade de seu filho se tornar um adulto bem-sucedido. Gostou das dicas? Continue acompanhando o blog 😉

 

14
jul

Cuidando do seu dinheiro: como não fazer dívidas

É muito comum que mesmo sem querer algumas pessoas acabem se endividando. A sociedade está cada vez mais consumista e em todos os meios de comunicação somos estimulados a gastar, gastar e gastar. Mas será que há um jeito de evitar isso? O que fazer para fugir das dívidas? Veja algumas dicas de como não fazer dívidas e cuidar melhor do seu dinheiro.

Como cuidar do dinheiro e evitar dívidas

Dívidas poupança

Saiba quanto você gasta

Para começar, é essencial que você saiba exatamente quanto ganha, após todos os descontos de imposto, INSS ou gastos com plano de saúde. Então, levante quais são seus gastos fixos e variáveis e suas dívidas, como financiamentos e as próximas faturas do cartão. Uma pesquisa realizada pelo SPC Brasil em 2014, revelou que 42% das pessoas não sabem dizer precisamente qual é sua renda.

Verifique se está gastando com serviços que não usa

Depois de revisar suas receitas e despesas, preste atenção nos gastos que você tem realizado e não fazem sentido, como planos de academia que não têm sido 100% usufruídos ou serviços de telefonia fixa, assinaturas de revistas e outros meios que podem ser cortados sem grandes problemas.

Reavalie seus gastos mais pesados

Se suas despesas estão maiores que o seu bolso pode aguentar e cortar gastos mínimos como os citados a cima não irá adiantar em nada, reavalie seus gastos mais pesados e reajuste sua vida a essa realidade. Faça mudanças significativas como se mudar para um imóvel menor para reduzir gastos com o financiamento e condomínio, ou venda o seu carro e opte por um modelo popular.

Crie uma meta de poupança

Crie ume meta de quanto precisa poupar no mês para não fazer dívidas. Após algum tempo poupando, você poderá ter um bom dinheiro para realizar vontades como uma viagem, um carro novo ou um novo imóvel.

Negocie antes de comprar

Sempre que você for comprar um produto, tente negociar para conseguir um preço melhor. A melhor forma de negociação está no pagamento em dinheiro, dessa forma o vendedor não precisará pagar uma taxa de uso da máquina de cartão e poderá te dar um bom desconto no preço final.

Abra mão do consumo superficial

Nem sempre nós compramos apenas aquilo que é essencial, está na nossa cultura consumir em excesso. Por um tempo, corte gastos que não são tão importantes assim, corte a TV a cabo, faça exercícios em casa ou na rua ao invés de ir para a academia, evite usar o carro para ir em lugares que você poderia facilmente ir a pé ou de bicicleta.

Tenha uma reserva de emergência

Situações inesperadas podem acontecer, nunca se sabe quando algum distraído irá bater no seu carro, o cano da cozinha irá estourar ou alguma doença que o plano de saúde não cobre irá aparecer. É claro que são situações que ninguém quer passar, mas é preciso estar preparado. Após fazer as contas e estuda-las, faça uma poupança reserva.

Tente não pagar em parcelas

Muitas vezes escolhemos pagar em parcelas, já que isso nos dá a sensação de que menos dinheiro está sendo gasto. Só que quando você faz disso um hábito, pode acabar se perdendo e postergando pagamentos, gerando juros. Quando você paga à vista, você se controla mais.

Aplicativo Troco Simples

Por último, mas não menos importante, não se esqueça que você pode deixar o seu dinheiro rendendo em até 6% por ano no Aplicativo Troco Simples! É a maneira mais fácil de fazer o seu dinheiro render.

Essas são algumas dicas de como não fazer dívidas cuidando do seu dinheiro. Você está seguindo esses passos?

 

7
jul

Lei permite desconto para compras à vista em dinheiro

Em junho de 2017, foi sancionada a lei que torna legal adotar valores diferentes para cada forma de pagamento. Isso é, em outras palavras, desconto para as compras em à vista e em dinheiro garantido. O desconto ou precificação diferente por conta do método de pagamento era proibido e, a partir de agora, além de legal será regido por esta lei prática. Confira os detalhes e as vantagens que ela trará para o varejo e consumidores.

Objetivo da lei para desconto para compras à vista

A Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), esclareceu o objetivo de uma lei que regulamenta o desconto para compras à vista. Segundo a mesma, a permissão da prática melhora o ambiente de negócios, estimula a economia do Brasil neste período de crise e oferece ao consumidor brasileiro o que ele mais a adora na hora de pagar com dinheiro: pechinchar.

Barganha e Pechincha na crise econômica

Para o brasileiro, conseguir um bom desconto é fundamental independentemente da forma de pagamento. Aliás, quem não gosta de pagar menos? E isso vale para qualquer situação ou época. Porém, durante a crise econômica, quando o poder de compra é de fato menor, a pechincha é importante para que tornar possível as compras de artigos essenciais.

Vantagens para o consumidor

A cada dez brasileiros, sete já estão acostumados a pedir desconto em compras à vista. E, já que pechinchar faz parte da nossa cultura, com a nova lei, as vantagens para os consumidores serão:

  • Compras em dinheiro mais baratas
  • Maior oportunidade de barganha
  • Estímulo à economia
  • Dinheiro em espécie para circulando no varejo

Vantagens para o varejo

Enquanto isso, os estabelecimentos também serão beneficiados. As mudanças estão bem claras:

  • Aumento da procura e das vendas
  • Redução das taxas de administradoras de crédito
  • Segurança jurídica para a política de preços

Mas para que esta nova política de preços e descontos seja válida e legal, os estabelecimentos devem informar em lugar visível quais serão os descontos para pagamento em dinheiro. O não cumprimento dessa regra, acarretará multa já prevista no Código de Defesa do Consumidor.

Conscientização do valor do dinheiro

Com a lei de desconto para compras à vista, vemos a valorização do dinheiro e a oportunidade crescente de reverter a situação da quantidade de troco disponível atualmente. Uma pesquisa do Banco Central alerta que a cultura de “entesouramento” do brasileiro, faz retirarmos um terço das moedas de circulação. Saiba mais sobre isto em outro post do blog clicando aqui.

No entanto, a emissão de cédulas do real também foi reduzida. De 3 bilhões, a produção caiu para menos de 1 bilhão em 2015, afetando as vendas de qualquer comércio por conta da falta de troco.

Vamos aproveitar a nova lei para melhorar a economia do país, fazer melhores negociações e transformar o cenário de troco do varejo.

E por falar em troco, você já conhece o aplicativo Troco Simples? Baixe grátis e saiba como as suas moedas podem valer muito mais!

30
jun

Aplicações financeiras: Como e por que investir o seu dinheiro

Administrar e economizar dinheiro não é uma tarefa fácil. Muitas vezes criamos dívidas ou não conseguimos juntar dinheiro para realizações pessoais. Mas você já pensou em investir seu dinheiro em aplicações financeiras? O resultado pode não ser imediato, mas se feito com segurança com certeza irá gerar frutos no futuro.

Por isso, nós reunimos nesse post algumas informações sobre como e por que investir seu dinheiro com mais segurança e conhecimento.

Por que investir em aplicações financeiras?

Todos nós gostaríamos de ter mais tempo para curtir nossos momentos pessoais, seja com a família, amigos, em viagens ou até mais tempo para dormir mais. Mas muitas vezes sacrificamos esses momentos para trabalhar.

Quando você sabe o que pode poupar, fica mais fácil saber aonde você quer chegar e como alcançar seus objetivos. Sabendo usufruir de uma alta taxa de juros, é possível fazer com que investimentos financeiros gerem inúmeras ‘’horas de trabalho’’ adicionais, sem precisar se mexer. Isso é, seu dinheiro trabalha por você.

Como investir?

Para investir seu dinheiro em aplicações financeiras você precisa:

Traçar seus objetivos e planejamento

Para isso você precisa definir quanto você pretende investir, em quanto tempo você pretende realizar seus lucros, quanto tempo você tem para acompanhar o mercado e investir e qual o seu conhecimento sobre o mercado de investimentos.

Identificar seu perfil de investidor e tolerância ao risco

Você pode preferir ter um rendimento menor e correr menos riscos ou ter um rendimento maior se arriscando.

Identificar suas maiores dificuldades e como resolve-las

Caso você tenha pouco tempo para acompanhar o mercado, a dica são investimentos a longo prazo, onde você compra um lote de ações e espera que deem resultado em um período de 90 dias a 3 anos.

Se por outro lado você tem pouco dinheiro mas quer investir, faça um controle financeiro e junte um pouco mais de dinheiro, ou utilize a alavancagem, através dela você pode investir um capital maior do que você tem, essas operações duram poucos minutos ou horas, por isso não é necessário pagar o valor total do que você está pagando, nem o valor total do que está vendendo. Você paga e recebe apenas a oscilação entre a compra e a venda.

Vantagens das aplicações financeiras

  • Trabalhar em casa

Uma grande vantagem de investir em ações é a possibilidade de trabalha em casa. Com um ponto de internet e um notebook é possível realizar operações de compra e venda no conforto do seu sofá. É uma oportunidade de melhorar a qualidade de vida fora do stress das ruas e dos escritórios.

  • Investimentos em pequenas quantias

Da pra investir a partir de 30 reais no Tesouro Direto, por exemplo. Nesse caso o investidor empresta dinheiro ao governo, que o remunera por isso.

  • Possibilidade de altos rendimentos

Mesmo começando com pouco investimento e com riscos menores, há possibilidade de altos rendimentos. O investidor também pode faturar um dinheiro extra com os dividendos pagos periodicamente por diversos ativos.

Fugindo do perigo

  • Não existe investimento 100% seguro

Um dos ricos mais comuns no ramo dos investimentos é o risco de crédito, que nada mais é que o famoso risco de calote por parte da instituição financeira por não cumprir seus compromissos com o investidor. Isso acontece quando não ocorre o pagamento total ou parcial dos juros combinados inicialmente no momento da aplicação. Para evitar isso, é bom pesquisar e estudar bastante as possibilidades antes de investir.

  • Dívidas

É comum encontrar pessoas que não analisam suas finanças antes de investir, isso faz com que ela invista mais do que poderia. Por isso, antes de se jogar de cabeça, é importante que você não tenha nenhuma conta em aberto.

  • Incertezas de lucro

Nem sempre é certo que você obterá lucro, para isso é necessário antes de entrar nesse meio certificar-se de que você tem controle emocional e paciência para lidar com possíveis perdas.

Se você ficou convencido de que investir em ações é uma boa jogada, comenta aqui em baixo!

23
jun

6 Dicas para organizar o fluxo de caixa da empresa

O fluxo de caixa é utilizado para acompanhar as movimentações financeiras de uma empresa por um determinado período de tempo. Toda entrada e saída de capital é analisada e verificada, isso envolve receitas, despesas, contas a pagar, contas a receber, empréstimos, reembolsos, rendimentos ou desvalorizações de investimentos, entre outros. A partir desse levantamento, o dono do negócio tem os subsídios necessários para decidir o que é melhor para sua empresa.

Como ele pode ajudar a minha empresa?

O fluxo de caixa dá uma visão mais precisa sobre o momento financeiro da sua empresa. Isso significa que ele te impedirá de tomar decisões erradas que poderiam vir a causar despesas, assim como te dará um bom retorno fazendo com que atinja além do previsto.

Para te ajudar a entender melhor essa ferramenta, reunimos nesse post 6 dicas para organizar o fluxo de caixa da sua empresa.23

1. Escolha um período para seu fluxo de caixa

Cada tipo de negócio consegue controlar seu fluxo de modo diferente, por dia, semana, quinzena ou mês. Analise em qual proposta o seu negócio melhor se encaixa e não deixe que o período se estenda muito, assim você correrá o risco de perder o controle de fluxo do seu caixa.

2. Identifique receitas e despesas e classifique-as

Você pode identifica-las utilizando cores e sinais, o importante é que se diferenciem umas das outras de uma maneira fácil de identificar. Em seguida, crie uma classificação através de categorias. Tente se manter equilibrado e não criar muitas ou poucas categorias.

3. Separe as receitas e despesas fixas

Separando essas receitas e despesas, você pode registrá-las nos fluxos de caixa de períodos futuros e fazer previsões de pagamentos ou recebimentos.

4. Registre contas a pagar e a receber

Registre as despesas a pagar como aluguel, contabilidade, contas parceladas ou internet, assim você terá o saldo atual consolidado do seu caixa e do saldo futuro, já considerando as contas que terá que pagar. Faça o mesmo lançando as contas a receber para os próximos meses, dessa forma você poderá contemplar o dinheiro que ainda vai entrar no caixa de sua empresa.

5. Crie centros de custos

O centro de custo tem o objetivo de separar melhor as atividades de uma empresa. É como se fragmentasse a empresa em vários setores (Administração, recursos humanos, produção, comercial, etc) que podem gerar diferentes receitas e despesas. Dessa forma você saberá aonde está gastando ou recebendo seu dinheiro de forma mais estruturada.

6. Utilize uma ferramenta para visualizar seu fluxo de caixa

Depois de fazer uma organização básica para ter uma visão mais clara sobre suas finanças, utilize ferramentas como Excel ou outros softwares de controle financeiro.

Após essas dicas, a conclusão é que o grande segredo para manter a saúde do caixa da sua empresa é a disciplina para registrar todas as movimentações financeiras.

E aí, já está usando o fluxo de caixa na sua empresa? Conta pra gente nos comentários!

16
jun

7 Dicas para juntar dinheiro no dia a dia

“Quanto mais a gente ganha, mais a gente gasta”, diz um velho ditado nem tão sábio assim, já que o maior segredo para juntar dinheiro é parar de encontrar desculpas. E mesmo que o seu salário não seja lá aquela maravilha, é possível! Aproveitando outra máxima, “quem quer, dá um jeito”. Por isso, reunimos neste post 7 dicas para juntas dinheiro que vão facilitar muito a sua vida, organizar as suas ideias e parar de adiar o início da poupança. Continue lendo!

Como juntar dinheiro de maneira correta

Quem tem um grande objetivo sabe que poupar dinheiro não é fácil. A gente fica meses e até anos, juntando cada centavo que pinta por aí. Por outro lado, são os grandes objetivos que nos motivam economizar. E o que mais pode te ajudar nessa hora, é uma boa educação financeira, para saber exatamente onde investir dinheiro, onde poupar dinheiro e como fazer o seu dinheiro render mais. Porque não basta guardar, se o seu dinheiro for aplicado, seu objetivo será alcançado muito mais rápido.

Vamos às dicas para juntar dinheiro!

1. Separe os gastos fixos dos extras

Suas contas fixas são aquelas que precisam ser pagas todo mês: aluguel, internet, luz, água, etc. E as contas extras são aquelas que acontecem durante o mês: uma roupa nova, restaurante no fim de semana, cinema e outras aquisições. É na hora em que separamos esses gastos que podemos ver com clareza as oportunidades de economia. E para começar, estabeleça um limite de gasto extra, quando atingir, você não poderá mais gastar. Certo?

2. Crie uma meta de quanto quer juntar

Uma boa maneira de estabelecer a meta é de acordo com o seu salário. Para começar, 10% é bacana. Mas quem quer mesmo guardar uma boa grana, é recomendável que você tenha uma meta de 30%. Fundamental mesmo, é não passar um mês se quer sem guardar uma quantia, ainda que seja pequena. Tenha disciplina e não caia na armadilha ou desejo de adquirir coisas.

Baixe o app Troco Simples

3. Corte gastos

De fato, contas fixas ou grandes não são as responsáveis pelo famoso sumiço do seu dinheiro. Mas sim, os gastos extras e desnecessários como cosméticos, guloseima todos os dias, bijuterias, salão toda semana, jogos… É importante mudar o padrão de vida e cortar coisas que você não precisa.

4. Utilize um app de controle financeiro

Use a tecnologia e o seu smartphone a seu favor. Baixe um app de controle financeiro e, antes de tomar qualquer decisão, consulte as suas finanças. Existem vários aplicativos gratuito para isso! Faça uma busca 😉

5. Registre seus gastos

Essa dica para juntar dinheiro é um clássico! Quem nunca ouviu falar sobre as planilhas de gastos, não é mesmo? Criar o hábito de anotar tudo o que você gasta, vai te ajudar a ter controle sore tudo o que você gasta e, assim, você conseguirá dominar as suas finanças para poupar mais e consciente.

6. Crie uma renda extra

Se você considera que a sua renda fixa mensal não é o bastante para economizar, então é hora de encontrar uma forma de renda extra. Pense em algo que você saiba e goste de fazer e comece a vender o seu peixe. Doces, aulas, serviços gerais, cabelo, maquiagem, reparos, formatações de eletrônicos, tudo vale.

7. Invista corretamente a sua poupança

Como dissemos desde o início deste post, apenas guardar dinheiro e mantê-lo parado, não adianta de nada. Seu dinheiro perde valor, da mesma forma que guardar embaixo do colchão. Por isso, avalie bem todas as formas de investimentos e aplicações, existem diversas opções que correspondem às suas preferências e características pessoais para isto.

Nossa dica, claro, é o Troco Simples. Onde o seu dinheiro pode render até 6% ao ano!

Se você gostou desse post, compartilhe! E se ficou alguma dúvida, pergunte pra gente nos comentários.

9
jun

Falta de moeda em banco: Como o comércio tem lidado

Se você costuma utilizar dinheiro em espécie para pagar suas compras e contas, você deve ter reparado que há alguns anos, o troco simplesmente foi reduzido a quase nada. O número moedas disponíveis reduziu e você deve ter questionado o que pode ter acontecido para esse sumiço. Relacionado ao fato, o Correio Braziliense – Jornal de Brasília – publicou um importante conteúdo falando sobre a falta de moeda em banco.

Ainda que pareça estranho, essa é a mais pura verdade. E, sem dúvidas, o comportamento do brasileiro em relação às moedas tem sido grande influenciador para essa falta de moedas que afeta o comércio e até mesmo o nosso bolso individualmente. Continue lendo e saiba mais sobre isto!

Cofrinho X Comércio: a culpa da falta de moeda em banco

Todos os anos, milhões de moedas são emitidas no Brasil. Isso significa que para cada um, existem aproximadamente R$30 em moedas circulando. Porém, o brasileiro desenvolveu uma maneira curiosa de poupar dinheiro que acaba retirando um terço mas moedas de circulação. Estamos falando do cofrinho! Que apesar de ser importante para as noções econômicas desde criança, não é um método efetivo de economia porque não rende, além de desfalcar o comércio com o troco.

E por falar em troco, engana-se quem pensa que basta ir ao banco solicitar novas moedas. Elas possuem um custo altíssimo de produção, muitas vezes mais alto do que o valor que representam e, por isso, não é tão simples repor a quantidade que está presa em cofrinhos, porta níqueis, cantos de sofá, latinhas e tantos outros lugares por onde vamos depositando quantidades de dinheiro que, juntas, comprariam vários carros populares.

Conscientização da população

Para amenizar os efeitos desse fenômeno chamado “entesouramento”, comércios de várias cidades tem criado um formato de comunicação com os clientes que incentiva a troca de moedas e conscientiza sobre o valor e importância que elas possuem. O próprio Banco Central considera válida toda forma de conscientização para preservar cédulas, moedas e colocá-las em circulação.

Outros comércios fazem até mais do que conscientizar e propõem prêmios/dinheiro para a população. Dependendo da quantidade de moedas levadas para comprar/trocar, é possível ganhar brindes interessantes e até mesmo uma porcentagem sobre o valor.

Assista o vídeo produzido pelo Correio Braziliense e veja o que alguns comerciantes tem feito para contornar a falta de moeda em banco. A reportagem finaliza com um vídeo viral da internet, onde um senhor abre o seu “cofrinho” e mostra todo o seu entesouramento de cinco litros.

Ficamos por aqui! Não esqueça de dizer o que achou do post nos comentários ou então deixar a sua dúvida para nós.

Baixe o app Troco Simples

1
jun

Troco Simples: Carteira Virtual para administrar seu troco

Já pensou se você pudesse carregar suas moedas e trocos sempre com você, mas sem ocupar espaço? Sem ter que usar porta-níquel, bolsinha de moedas, sem cofrinho em casa, moedas jogadas no carro, nos bolsos, distribuídas em cada bolsa e em vários outros lugares? Agora é possível! O Troco Simples é um aplicativo para facilitar a sua vida, a solução para as suas finanças, para as moedas do seu bolso e do varejo.

Saiba tudo sobre nós nesse primeiro post do blog!

Aplicativo para administrar trocos

“Você tem R$0,50 para melhorar o seu troco?” ou “Aguarde um minuto enquanto eu peço troco para você, por favor”, quem nunca passou por essas situações, não é mesmo? A necessidade de moedas circulando do varejo é grande. Portanto, a necessidade de uma solução para isto é ainda maior.

Foi pensando nisso que desenvolvemos o Troco Simples, um aplicativo para receber e devolver trocos de maneira virtual. Você como usuário, não precisa mais se preocupar com as moedas espalhadas, em esperar o troco ou facilitar para que a loja não te encha de notas e moedas. Por outro lado, como estabelecimento, você ganha segurança diminuindo a necessidade de troco físico em caixa e não se preocupa com a possibilidade de faltar troco.

Por isso, existem duas formas de utilizar o Troco Simples: Para Você e Para Sua Empresa.

Troco Simples Para Você

Como usuário do aplicativo, você participa de uma série de vantagens. Começando por fazer o seu troco render até 6% ao ano. Isso mesmo, suas moedas tem muito mais valor aqui e você pode ter rendimento mensal sobre o valor acumulado na Conta Troco Simples. A lógica é simples: quanto maior o valor do troco acumulado, maior a remuneração para fazer o seu saldo crescer.

  • Acumulando até R$50,00 – Remuneração de 0,3% ao mês
  • Acumulando acima de R$50,01 – Remuneração de 0,5% ao mês

E não para por aqui.

Você pode utilizar seu Saldo Troco Simples para:

  • Pagar Boletos
  • Transferir para contas bancárias
  • Transferir para cartão de crédito VISA
  • Recarregar celular
  • Recarregar cartão Metrocard
  • Comprar Dotz
  • Comprar games
  • Comprar ofertas exclusivas com até 40% de desconto
  • Fazer cobrança de contas com amigos e serviços prestados
  • Acumular pontos e trocar pontos por dinheiro

Falando em acumular pontos, você vai ver que isso é muito fácil, já que toda ação dentro do aplicativo rende pontos para você. A cada 100 pontos acumulados, você pode trocar por R$10. Veja como você pode ganhar pontos:

  • Receber troco: 2 pontos
  • Pagar estabelecimento: 3 pontos
  • Recarga de celular: 2 pontos
  • Indicar amigos: 5 pontos
  • Comprar ofertas: 4 pontos
  • Comprar produtos e serviços: 3 pontos

Troco Simples Para Sua Empresa

Enquanto isso, sua empresa pode ser beneficiada com vantagens exclusivas para creditar troco no CPF dos seus clientes:

  • Nova forma de pagamento para sua empresa
  • Crie ofertas exclusivas e atraia clientes
  • Deposite as moedas dos clientes e tenha troco em caixa
  • Utiliza a Conta Troco Simples para realizar transações como pagar boletos
  • Reduza o risco da sua operação de Delivery, o motoboy utiliza o app
  • Faça os lançamentos de troco pelo celular, Portal WEB ou integração de sistema ou, para ficar ainda mais fácil, ganhe tempo e faça os lançamentos só no final do dia

4       Passos para começar a usar

  1. Cadastre-se: Baixe o aplicativo no seu celular e cadastre-se como usuário. Se quiser cadastrar sua empresa é só utilizar o menu configurações e cadastrá-la em seguida.
  2. Faça uma Recarga na conta: Adicione saldo à sua Conta Troco Simples informando o valor, emita o boleto, realize o pagamento e pronto!
  3. Receba ou Devolva troco: Toda vez que fizer uma compra ou venda, peça o troco pelo aplicativo para economizar tempo e concentrar suas moedas no Troco Simples.
  4. Acumule Saldo: Recebendo troco ou pagamento no aplicativo, você acumula saldo para utilizar da forma que quiser com todas as funções da conta Troco Simples.

Compartilhe nossa ideia! E contribua com a facilidade de troco e rendimento das suas moedas.