Troco Simples

17
maio

Como planejar o troco no comércio e evitar o prejuízo

Talvez um dos problemas que mais dão dor de cabeça na rotina diária dos comércios seja a dificuldade em trabalhar com os chamados trocos “miúdos”. Hoje, muitas pessoas contam com o suporte de um cartão de crédito ou de débito. Mas, se por um lado a adoção dessa forma de pagamento ajuda na cobrança de valores quebrados, por outro ela diminui consideravelmente a circulação de moedas e notas pequenas nos comércios de rua. E é quando chega a hora de dar o troco para o cliente que prefere pagar em dinheiro que os problemas começam. Para isso, a solução é planejar o troco e adotar algumas ações que podem ajudar bastante a evitar indisposição com seus clientes e facilitar a gestão do seu caixa.

1- Promova a cultura de moedas na equipe de vendas

O primeiro fator que o empreendedor precisa ter em mente é que, independentemente das dificuldades em garantir o troco “miúdo”, essa é uma responsabilidade da sua empresa. Seu cliente está adquirindo um produto seu, foi até a sua loja e escolheu você. Nada mais justo do que garantir que ele saia satisfeito e seja bem tratado.

Aqui, uma boa alternativa é criar uma cultura interna para troca de moedas com a sua equipe de vendas, por exemplo. Não custa nada fazer uma reunião com os seus funcionários e criar incentivos para que eles tragam as suas moedas e os trocos menores que juntam em casa e troquem por notas mais “graúdas” com o seu caixa. Mesmo que talvez esse movimento não seja o bastante para suprir todas as necessidades com troco da sua empresa, definitivamente vai facilitar a vida de quem opera o seu caixa.

2- Pratique preços inteiros

Além de planejar o troco, outra alternativa — um pouco mais ousada — é arredondar os seus preços. Não é segredo que alguns preços possuem um apelo emocional bastante tentador. Os famosos R$ 19,50, R$ 49,00 ou R$ 99,90 podem fazer com que o cliente sinta a compulsão por comprar, mas quando o empreendedor escolhe trabalhar com esses valores atraentes, é preciso lembrar que o seu negócio vai precisar garantir o troco.

Uma opção é fazer uma revisão do seu planejamento de vendas e a formação de preço para, talvez, trabalhar com valores inteiros. Ao invés de anunciar um produto por R$ 49,00, por exemplo, você pode fixar o preço em R$ 50,00 e evitar a necessidade de ter de voltar R$ 1,00 de troco no processo de compra — vale também diminuir o preço para um valor inteiro mais baixo e compensar essa redução subindo um pouco o valor de algum outro produto que também tenha boas vendas.

3- Organize seu caixa com antecedência

Uma situação bastante comum no comércio de rua é recorrer aos negócios e estabelecimentos vizinhos em busca de troco quando o caixa é surpreendido pela falta de notas pequenas ou moedas. Além de mostrar um pouco de despreparo por parte da sua equipe, fazer o cliente esperar para sair da loja nunca é uma boa alternativa — há casos mais extremos em que ele pode até mesmo desistir da compra. Por isso, vale organizar o seu caixa com antecedência.

Para planejar o troco, prepare pequenos pacotes com valores definidos em moedas e notas pequenas de valores variados depois do fechamento da semana, por exemplo, e coloque-os à disposição do caixa todos os dias pela manhã. Trocar suas notas “graúdas” por algumas pequenas sempre que possível também otimiza esse processo, sempre com o cuidado, é claro, de não misturar o seu caixa com as finanças pessoais.

4- Faça saques periodicamente

Você já deve ter se deparado com alguns bancos que trabalham com caixas eletrônicos separados por tipos de cédula. Por exemplo, existem máquinas que trabalham apenas com notas de R$ 2,00 ou R$ 5,00, voltadas especificamente para saques de valores menores. Ao se deparar com um caixa assim, o empreendedor pode se organizar para, em algum momento da semana, visitar a agência bancária e sacar valores um pouco mais elevados. Basta fazer as contas: se você sacar algo como R$ 95,00 em um caixa assim, é possível sair da agência com 19 cédulas de R$5,00, que com certeza vão ajudar bastante o seu caixa na hora de providenciar o troco corretamente.

5- A tecnologia pode ajudar a planejar o troco

Existem ainda algumas alternativas mais inovadoras que colocam a tecnologia a serviço do troco. O aplicativo da Troco Simples, por exemplo, oferece uma solução inteligente e prática que permite que os comerciantes cadastrados ofereçam o troco em crédito no CPF do cliente, em vez retornar o dinheiro em moedas ou cédulas.

Assim, os consumidores podem calcular os valores, que renderão juros e outras vantagens, como prêmios e a possibilidade de colocar créditos no celular. Para os clientes participarem, como o próprio nome do aplicativo indica, é simples também: basta que se cadastrem gratuitamente no sistema. E aí é importante o comerciante mostrar os benefícios e incentivar as pessoas a fazerem isso. Quanto mais consumidores estiverem participando, menor será a preocupação em ter moedas e cédulas de menor valor para dar como troco!

10
maio

Confira boas práticas para fazer a gestão de contratos com fornecedores

Na hora de avaliar os fatores que ajudam uma empresa a se manter ativa, atrativa e competitiva, não é segredo que os fornecedores desempenham um papel importantíssimo. Além de extremamente estratégicos no comércio, investir em um bom relacionamento com esses parceiros pode facilmente resultar em flexibilidade nas suas negociações, condições bem amigáveis de pagamento e a garantia de uma fonte confiável. Nesse contexto, a gestão de contratos surge como uma necessidade urgente.

Sabemos que com a pluralidade de ofertas e serviços no mercado, é essencial contar com produtos de qualidade, entregues dentro de uma logística eficiente e com preços justos. Assim, fica a cargo do fornecedor ajudar você a garantir sua vantagem competitiva.

Manter um relacionamento saudável e transparente com seus fornecedores também pode ajudar muito a sua empresa na hora de manter as finanças em dia. Veja bem, grande parte dos parceiros, até mesmo por uma questão de segurança e planejamento dos seus modelos de trabalho, costumam atuar com prazos de entrega mais esticados. Assim, eles podem se organizar melhor. Para o empreendedor, contudo, os longos prazos de entrega podem ser um problema. Ter um canal de diálogo aberto com os seus fornecedores pode diminuir esse tempo, permitindo que o seu negócio reduza a necessidade de grandes estoques e diminua os riscos e perdas, por exemplo.

A gestão de contratos também faz com que o empreendedor acabe contando com janelas melhores para negociar os prazos de pagamento, podendo rediscutir os preços e uma série de pequenas ações que, quando somadas, podem dar uma suavizada nos custos do seu negócio.

Em um exemplo prático, digamos que você tenha um relacionamento de longa data com um fornecedor, que resulta em grandes compras. Se você tiver esse fornecedor como um parceiro, alguém com quem sua empresa sempre possa contar, vai ser possível e vantajoso programar com bastante antecedência as suas futuras compras, descartando a necessidade de ter que se preocupar com a aquisição mês a mês.

O bom relacionamento com o fornecedor também serve para que a sua marca ganhe boa fama no seu mercado de atuação. Entre fornecedores, o “boca a boca” é muito comum, pois eles trocam experiências e cases com as empresas que trabalham. Se o seu fornecedor tiver passado por situações mais complicadas, como atraso nos pedidos ou no pagamento, é muito provável que isso se espalhe e sua marca acabe ficando com má reputação.

Por isso, vale ter uma atenção especial no gerenciamento dos contratos com os fornecedores, afinal, a estabilidade no fornecimento deixa tempo e tranquilidade para que o empreendedor se dedique um pouco mais em potencializar seu negócio.

Cuidados na gestão de contratos de fornecedores

Transparência e praticidade são valores que não devem estar somente no contato diário com sua equipe de fornecedores, mas também na gestão dos seus respectivos contratos. E não é segredo que a maneira mais fácil de evitar dores de cabeça é garantir que eles sejam redigidos da maneira mais clara e assertiva possível.

É necessário que todos os seus contratos, inclusive aqueles que tratam de processos futuros, estejam sempre alinhados às capacidades financeiras e técnicas da sua empresa. Ou seja, não feche negócios que não tenha capacidade de suprir. Além disso, discrimine de maneira clara as multas e penalidades referentes a quebras de termos do contrato para ambas as partes, fazendo que o documento também seja uma garantia para o seu negócio.

Nessa parte do processo, o arquivamento eficiente desses contratos também é a chave para manter o controle dos seus processos. Em algumas situações, pode ser de extrema importância para seu negócio uma rápida localização desses documentos, algo que pode ser bastante descomplicado em empresas de pequeno porte.

Um arquivo bem organizado pode ser feito até mesmo com o auxílio de armários ou escrivaninhas, separando os contratos, por exemplo, de acordo com a sua natureza: contratos com clientes, contratos com fornecedores, contratos com órgãos públicos e outros, sempre separando os documentos por ordem de vencimento.

E o trabalho não acaba por aí: vale que o empreendedor tenha em mente que, ao elaborar um contrato, ele está se preparando para criar e cultivar um laço que pode ser bastante duradouro com o fornecedor. É um processo onde a flexibilidade deve ser considerada com tanta atenção quanto a manutenção dos prazos e da qualidade.

Por isso, é importante ter uma noção exata de quando esses valores e condições podem ser mutáveis e planejar como sua empresa reagirá a essas mudanças. Afinal, lembre-se que todo esse esforço é voltado para garantir que a gestão de contratos com os fornecedores traga descomplicação e lucros para todas as partes envolvidas!

A Troco Simples também quer ser parceira da sua empresa. Entre em contato com a gente e saiba como podemos ajudar você a obter melhores resultados!

3
maio

Como preparar a força de vendas e melhorar os resultados da sua loja

De toda as ações e práticas que fazem parte dos pilares do comércio, a sua linha de frente é sem dúvidas a mais importante delas. Não é segredo que qualquer planejamento, ação coletiva, promoção ou estratégia passa obrigatoriamente pela sua equipe de vendedores, pois são eles que fazem o primeiro e o último contato com o cliente. São esses profissionais os responsáveis por apresentar e esclarecer as vantagens de adquirir os produtos e esmiuçar as facilidades e opções de pagamento. É por isso, então, que saber como preparar sua força de vendas é, ao mesmo tempo, complexo e vital para o empreendimento.

Com uma equipe de vendas bem estruturada e alinhada com o planejamento da sua empresa, é certo que você vai contar com uma força de trabalho que pode transformar a realidade do negócio. Será mais fácil conquistar e fidelizar clientes e, assim, ter muito mais tranquilidade na hora de administrar e focar na gestão comercial.

Por isso, seja na criação de uma equipe, seja na sua readaptação a uma nova realidade ou no aprimoramento de um modelo já adotado, avaliar sua estrutura e saber como preparar a força de vendas é essencial para manter a empresa competitiva e as vendas a todo vapor. A boa notícia, é claro, é que existem algumas ações simples e descomplicadas que podem ajudar bastante na hora de planejar e colocar em prática a potencialização da sua equipe. Fizemos uma relação das mais importantes.

1- Cultivar o controle dos processos de venda

Se o seu negócio contar com o suporte de um bom e eficiente controle de vendas, suas equipes vão ter muito mais facilidade na hora de orientar os clientes. É um processo no qual a transparência nas ações de gestão são refletidas com igual transparência nos resultados. Isso porque, se a comunicação e o fluxo de trabalho do seu negócio estão alinhados e definidos com sua equipe, fica muito mais fácil atuar com agilidade quando surgirem ameaças ou mesmo quando pintar aquela oportunidade única de negócio. Afinal, entender o ciclo de vendas e ter uma boa gestão de informações de cada processo faz os profissionais entrarem em sinergia e obterem melhores resultados

2- Atenção redobrada aos clientes ativos

Com o mercado cada vez mais complexo e competitivo, onde não faltam ofertas de produtos e fornecedores, os clientes são cada vez mais exigentes, os concorrentes mais ferozes e a informação está disponível à distância de um clique. Dessa forma, a fidelização se tornou uma ferramenta vital para a prosperidade de qualquer negócio.

Seus clientes ativos e regulares são a melhor fonte de pesquisa para uma empresa, por exemplo, pois eles sabem os pontos em que você precisa se desenvolver e qual é o seu diferencial no mercado. É importante que este conceito faça parte da cultura do seu negócio e da sua força de vendas, afinal, entender o que pensam os clientes é, em resumo, traçar novas oportunidades. Lembre-se: identificar as particularidades do consumidor é fundamental para tirar do papel estratégias assertivas e afuniladas para transformar os seus clientes em apaixonados e verdadeiros defensores da sua marca.

3- Investimento em capacitação da força de vendas

Um vendedor bem capacitado e preparado para lidar com qualquer tipo de situação vai converter clientes com muito mais facilidade. Incentivar e investir na profissionalização da sua força de vendas é uma ação que vai se converter em lucro e retorno financeiro. A dificuldade para interpretar os diferentes perfis de clientes e lidar com as particularidades de cada um reduz consideravelmente.

Em uma situação prática, imagine que seu cliente procure o seu comércio em busca de um produto específico, mas com algumas dúvidas sobre as funcionalidades ou especificações. Então, ele se depara com um vendedor profissional e preparado para sanar as dúvidas ou, ainda que ele não saiba tudo sobre o item, conheça formas práticas e rápidas de conseguir a informação que o comprador deseja. Sua marca acaba de deixar uma boa impressão e as chances de essa pessoa voltar ou se tornar um cliente regular são extremamente elevadas.

4- Cuidados com o pós-venda

Não esqueça que o trabalho da sua força de vendas não acaba quando o dinheiro entra e o cliente sai. Em muitos casos, a falta de assistência no pós-venda acaba levando seus clientes a buscarem a concorrência. Por isso, manter o cadastro de consumidores atualizado e tomar a iniciativa de procurá-los depois do processo de venda pode ajudar a aumentar o nível de satisfação.

Para dar suporte para sua força de vendas depois que ela estiver devidamente preparada, um detalhe é importante: o troco. Muitos comerciantes não dão a devida atenção, mas ponto é crucial para não criar um desgaste desnecessário com os consumidores. E resolver o problema da falta de troco é justamente a função do aplicativo Troco Simples, que transforma aquelas moedas em crédito no CPF. Clique aqui e conheça melhor essa solução.

26
abr

Seis ações para fazer uma promoção de sucesso no seu negócio

Apostar em ofertas e nos descontos é, sem dúvidas, uma das mais tradicionais estratégias de negócio para o comércio. Quando bem feitas, elas ajudam a impulsionar as suas vendas, atraem um volume muito maior de clientes para dentro da sua loja e ajudam a sua marca a se fortalecer no mercado. A questão é que para conseguir uma promoção de sucesso, esse movimento deve ser planejado com bastante antecedência e com base em uma análise bem criteriosa da situação da sua empresa. Pensando nisso, separamos algumas dicas e ações para o você ficar atento e evitar a dor de cabeça.

Dicas para uma promoção de sucesso

Antes de falarmos especificamente das ações que você pode tomar para realizar uma promoção de sucesso, precisamos abordar o planejamento para dizer que os descontos não pode acabar comprometendo seu orçamento. Portanto, com base em projeções, observe o impacto da oferta na margem de lucro. Conforme o resultado, é possível decidir se vale ou não a pena. Dito isso, vamos agora para as ações.

Atenção redobrada no público-alvo

Uma promoção de sucesso não acontece da noite para o dia, precisa de bastante planejamento e a iniciativa da sua equipe de gestão para definir não apenas o objetivo da ação, mas também o público-alvo da sua campanha. Independentemente do motivo, toda promoção passa obrigatoriamente pela definição de quem vai, efetivamente, se beneficiar dos descontos e comprar na sua loja.

Por isso, cabe ao empreendedor estudar bem os seus clientes, entender qual a faixa etária, a faixa de renda, as condições socioeconômicas, a realidade da região em que seu negócio atua, o movimento dos concorrentes e, não menos importante, ficar de olho na sazonalidade e nas épocas certas. Uma promoção de sucesso feita no momento econômico certo pode gerar uma grata surpresa no seu fechamento.

Planeje a promoção com antecedência e transparência

Sua clientela só vai ser verdadeiramente impactada por uma promoção se ela puder perceber a relevância dos descontos ou ofertas que você está oferecendo. Mesmo que a estratégia principal seja acelerar a venda de um produto que está encalhado, por exemplo, é importante que seu cliente não se sinta enganado pela promoção.

Uma das formas de fazer isso é descobrir quais mercadorias o cliente busca e oferecer descontos progressivos, mix de produtos ou compras relacionadas, para que assim ele compre dois ou mais itens de uma única vez. Supondo que seu comércio vá começar a vender um produto recém-chegado e você decida aplicar uma promoção para potencializar essas vendas, seus clientes não vão ser capazes de saber se aquele preço “promocional” é tão diferente do preço tradicional a ponto de justificar uma compra mais urgente, por exemplo. Lembre-se: a transparência é muito valorizada em qualquer negócio.

Clientes fiéis em primeiro lugar

No relacionamento com o cliente, é imperativo que se entenda como o conceito de troca equivalente funciona: em troca da fidelidade, o consumidor espera reconhecimento. Isso porque os clientes fiéis podem ser responsáveis por mais de 50% de todo o faturamento do seu negócio. Então, nada mais justo do que providenciar para que eles desfrutem de um tratamento diferenciado.

Nesse âmbito, investir em ações de relacionamento como newsletters exclusivas, cupons de desconto e vantagens de um possível “clube de fidelidade” pode ser o melhor caminho. Por exemplo, se a sua marca vai lançar um produto novo no mercado, por que não investir em conteúdos personalizados e avisar os clientes mais fiéis e estratégicos primeiro?

Desse modo, ele tem grandes chances de retornar o quanto antes, e de até mesmo aproveitar o benefício para tomar uma decisão de compra que estava levando em consideração, mas ainda não havia se decidido.

De olho no marketing

Promoção sem divulgação não é promoção. Hoje, os meios digitais são grandes aliados do empreendedor na hora de colocar a sua marca em evidência, e o mesmo vale para fazer com que suas ofertas cheguem até os seus clientes. A conversão em cima da sua promoção, é claro, vai depender bastante dos produtos que você tem a oferecer, mas colocar em prática uma estratégia mesclada de marketing e da sua promoção pode aumentar consideravelmente as suas chances de sucesso.

Vale lembrar que os meios mais populares para alcançar o seu público na internet são o Google AdWords, campanhas em mídias sociais como Facebook Ads e Instagram Ads, banners na Rede de Display do Google e e-mail marketing promocional. Nada disso impede, contudo, que o empreendedor opte por mídias mais tradicionais e invista em banners, outdoors e panfletos para divulgar a promoção na sua região ou em comércios vizinhos.

Faça a métrica dos seus resultados

Já batemos aqui na tecla de que toda ação promocional deve ser fruto de um planejamento criterioso. Mas igualmente criteriosa deve ser a análise dos resultados e do desempenho das suas promoções. Números não mentem e, muito além do que apontar como cada etapa da campanha se comportou, eles contribuirão para a otimização da sua verba, garantindo que o valor investido seja aproveitado ao máximo e sempre com o foco na conversão final.

Agora, digamos que você colocou todas essas ações em prática e conseguiu atrair os clientes para sua promoção. Mas, na hora que eles chegam no caixa, não há troco suficiente. É uma situação bem chata, não é mesmo? Para evitar esse problema, existem soluções, entre elas o aplicativo Troco Simples, que converte o valor do troco em crédito que pode ser trocado por diversas vantagens. Clique aqui e conheça melhor!

12
abr

Planejamento de vendas: uma arma essencial para alavancar o seu negócio

Planejar antes de se aventurar é uma prática comum quando pensamos uma viagem, certo? E por que costumamos fazer isso? Porque queremos otimizar o tempo para conseguir usufruir o máximo possível daquele lugar que, geralmente, esperamos muito para conhecer. Ou seja, o planejamento serve para que possamos ter um melhor aproveitamento cruzando tempo e custo. Se é assim na vida pessoal, não é diferente nos negócios, que exige o planejamento de vendas — o momento de traçar estratégias assertivas para que o trabalho possa fluir com mais eficiência. Para ajudá-lo nesta missão, elencamos pontos importantes que você deve levar em consideração na hora de planejar as vendas na sua loja. Acompanhe!

Analisar para planejar

Analisar os passos dados até então é essencial para entender como as ações realizadas estão impactando nos negócios, não é mesmo? Pense em como um treinador de basquete prepara a sua equipe para as partidas. A comissão técnica costuma separar vídeos e dados a respeito da equipe adversária e do próprio time. O objetivo? A análise. O exercício é fundamental para corrigir questões como erros de posicionamento, problemas táticos e de jogadas. A partir disso, é possível traçar uma nova estratégia para o próximo confronto.

No seu negócio não pode ser diferente. É necessário analisar o período anterior e entender em que posição sua empresa se encontra agora. Identifique quais foram as maiores dificuldades, onde ocorreram os principais problemas, como foi o fluxo de vendas, como foi a atração de novos clientes e a abordagem e quais foram as condições de pagamento e negociação ofertadas, por exemplo. É necessário compreender também as especificações dos seus produtos e se eles estão atendendo às necessidades dos seus clientes, como foi o preparo da sua equipe de vendas, qual o desempenho do pós-venda e se houve problemas de logística.

Com esse diagnóstico, assim como na equipe de basquete, é possível identificar falhas, saber o que precisa mudar e quais são os pontos que você está acertando. Com isso, sua empresa consegue potencializar o que já dá certo para atrair novos clientes, além de fidelizar os que já possui.

O planejamento de vendas precisa incluir toda a equipe

Não adianta de nada estudar, captar dados, analisar e planejar ações se você não consegue engajar quem faz a máquina girar. É muito importante você vestir a camisa, mas é imprescindível que sua equipe também vista. São os funcionários que propagam a imagem do seu negócio, afinal, é com eles que o seu cliente tem a primeira impressão.

Além disso, capacitar sua equipe de vendas é essencial para que ela se apresente ao cliente não apenas como quem quer vender a todo custo, mas, sim, como uma especialista que está levando a solução procurada. A partir disso, seus colaboradores passarão a entender o comportamento e as necessidades do seu cliente e a propor soluções que atendam às suas expectativas de maneira objetiva e prática.

Você precisa, ainda, estabelecer um modelo de comunicação eficiente, tornando o seu negócio um pequeno universo conectado. E é importante ter o feedback da sua equipe para isso. Assim, as correções e melhorias ficam mais claras.

Identifique seu público-alvo

Identificar o seu público-alvo é crucial para o sucesso do seu planejamento de vendas. Embora em um primeiro momento ele possa parecer heterogêneo, você precisa estar atento aos grupos que o compõem e às suas particularidades para que possa traçar metas específicas para cada um deles.

Projete e estabeleça metas

Trace metas. Com elas você pulveriza o objetivo final e consegue segmentar as ações, potencializando as chances de sucesso. A partir dessas metas, projete ações e táticas de acordo com o seu público-alvo. Assim, você passará a atuar com assertividade, direcionando melhor suas estratégias para cada grupo de clientes. Consequentemente, vai alavancar suas vendas.

Invista em soluções e se organize

Ter um planejamento de vendas é ter um manual, um norte de como agir para potencializar seus resultados e conquistar mais clientes.

Mas, aliado ao planejamento de vendas, algumas outras soluções precisam ser pensadas para garantir a boa experiência dos seus clientes. Uma delas é o aplicativo Troco Simples. Com ele, sua empresa fica sempre organizada e tranquila ao lidar com o troco diariamente, garantindo a satisfação dos clientes, a agilidade no atendimento e um fechamento de caixa sempre em dia! Isso porque o troco dos clientes passa a ser virtual, creditado diretamente no CPF e com integração ao seu sistema.

Muito bom, não é verdade? E há muitos outros benefícios que o Troco Simples pode proporcionar ao seu estabelecimento, principalmente quando atrelado ao planejamento de vendas. Clique aqui, veja em detalhes como o aplicativo funciona e boas vendas!

5
abr

Crescimento do comércio em 2018: não deixe sua empresa perder esse momento

O comércio fechou o ano de 2017 comemorando a retomada do crescimento e do consumo. O setor que passou por momentos difíceis e de recessão começou a enxergar a luz no fim do túnel já no ano passado e tem, em 2018, melhores expectativas. E não é para menos: com taxas de juros caindo e busca facilitada por crédito, o crescimento nas vendas é quase que inevitável. Inclusive, a CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo) divulgou, recentemente, uma pesquisa apontando que a perspectiva para o desempenho das vendas é de alta de 5,2% para este ano. Com isso, é impossível não pensar em um cenário de crescimento do comércio, não é verdade?

A perspectiva otimista de crescimento nas vendas é boa? Sim! Mas isso não dispensa a necessidade de programar estratégias de vendas e atendimento para aproveitar ao máximo este novo ciclo e, claro, sair na frente da concorrência. Afinal, não dá para perder o bonde que está andando e acelerando!

Dicas para aproveitar o crescimento do comércio

Por isso, neste artigo nós separamos algumas dicas que podem ajudar você a organizar e otimizar estratégias de vendas para aproveitar esse ritmo de crescimento do comércio. Confira!

Tenha proatividade nas vendas

O momento é de crescimento do comércio e confiança dos consumidores em poder investir naquele produto desejado e almejado há tempos, mas que estava engavetado devido à recessão. Mas isso não significa que os consumidores sairão gastando enlouquecidamente. Eles farão isso da maneira que for conveniente e necessária e cabe ao comerciante ser proativo e mostrar a ele o quanto seu produto é interessante, suas condições são favoráveis e todo o leque de vantagens que o diferencia do concorrente.

Por isso, não se pode esperar que a venda aconteça por um milagre. A iniciativa do comerciante é o pontapé inicial que vai demonstrar interesse especial em cada cliente. Fazer contato com os clientes por telefone, e-mail e até mesmo utilizar a tecnologia pode ser uma arma a mais na divulgação dos seus produtos e ofertas.

Trace metas e planeje ciclos

Vender, fidelizar seus clientes e tratá-los bem são os objetivos do comércio, certo? Esses são objetivos gerais e costumam nortear todos os comerciantes, afinal, são as bases para a longevidade de um negócio. Mas, e as metas pontuais? E os ciclos? Eles estão entre suas prioridades? Como falamos, este é um momento de retomada de crescimento do comércio após um período longo em que o comércio teve que segurar as pontas.

E como todo recomeço, o momento exige planejamento e organização. Portanto, para aproveitar ao máximo o potencial de consumo dos seus clientes, trace metas junto à sua equipe, pois elas servem como base e também como incentivo. Além disso, planejar ciclos abordando questões como as metas de vendas, ações de marketing e de engajamento dos clientes e campanhas de aproximação dos colaboradores, clientes e até mesmo fornecedores serve para impulsionar suas vendas, além de permitir avaliar o seu público e como suas ações são recebidas por ele.

Faça reuniões e qualifique sua equipe

Reuniões com a equipe são essenciais para identificar possíveis erros nas vendas, no atendimento, no estoque, enfim, em todo o processo. É a partir desses encontros que você consegue desenhar melhor a semana do seu comércio, corrigindo falhas em todas as etapas. Além disso, este momento pode ser utilizado também para qualificar seus colaboradores. Lembre-se: bom atendimento gera conversão de vendas, fideliza e atrai novos clientes.

Negocie

Um dos segredos para o sucesso no comércio é ter uma boa relação com os fornecedores, tanto no que diz respeito à pontualidade na entrega quanto nas negociações de valores. Negociar é preciso! Uma compra bem feita pode resultar em uma venda melhor ainda, por isso, não deixe de negociar com seu fornecedor.

Porém, tenha sempre em mente que uma boa compra não se limita a um preço favorável e boas condições de pagamento. Você precisa estar atento às necessidades do seu público-alvo. Preze pela qualidade e pela usabilidade dos produtos, pois não adianta entupir a sua loja de itens se eles não forem atrativos — isso vai na contramão de um bom planejamento e da lucratividade.

Use e abuse da tecnologia

As pessoas estão conectadas pelo smartphone. A frase já virou clichê, mas precisa ser levada a sério. Você precisa estar atento a essa realidade para inserir o seu negócio nessa grande bolha também! As pessoas utilizam o mundo digital para praticamente tudo, desde manter contato com familiares e efetuar pagamentos no aplicativo do banco até, é claro, comprar.

Então, estar fora da internet é deixar de atender a um público que já é enorme e que continua crescendo a cada dia. Disponibilizar opções online, além de aumentar o seu alcance, também se torna um chamariz para que quem tem possibilidade geográfica conheça o seu espaço físico, permitindo aquela proximidade que já citamos aqui no post.

Falando nisso, utilize as redes sociais para divulgar o seu trabalho! As pessoas gostam de conhecer o ambiente em que compram, saber como é o dia a dia e conhecer as novidades assim que elas chegam à sua loja. E você pode divulgar tudo isso em canais como Facebook, Instagram e YouTube, por exemplo.

Tenha sempre troco à mão

Existem algumas situações que às vezes parecem detalhes, mas que, na verdade, são capazes de fazer o cliente decidir se volta ou não à sua loja ou se efetiva ou desiste da compra que estava fazendo. Uma delas é a falta de troco.

Imagine-se em época de Páscoa indo a uma loja especializada em chocolates. É claro que a demanda e o movimento estão intensos. Você esqueceu o cartão, tem apenas dinheiro, porém, o caixa não possui troco. O que você faria? É bem provável que desistiria da compra, não é verdade?

Quer dizer: o troco é essencial para, além de converter a venda, transmitir a imagem de organização que você tanto trabalha para conseguir e manter. Claro que imprevistos acontecem, mas o consumidor não pode pagar a conta por isso. E não dá mais para depender das moedinhas.

A boa notícia é que a tecnologia está alinhada a este momento de crescimento do comércio e pode ser uma grande aliada do seu negócio. A Troco Simples, por exemplo, tem a solução ideal para evitar problemas pela falta de troco. Nosso aplicativo permite que os comerciantes cadastrados ofereçam o troco em crédito concedido diretamente no CPF do cliente. Dessa maneira, evita-se o retorno em dinheiro e os consumidores conseguem calcular os valores que, inclusive, rendem juros e outras vantagens, como prêmios e a possibilidade de conversão em crédito para o celular.

Para que os clientes possam participar, é muito simples, basta que realizem um cadastro gratuito no sistema e pronto! Ao comerciante fica a missão de mostrar aos clientes as vantagens de migrar do troco tradicional para o Troco Simples, que concede muitos benefícios a ambas as partes.

Então, não perca mais tempo! Conheça o Troco Simples e veja em detalhes como ele pode ser vantajoso para o seu dia a dia!

5
mar

Saiba como calcular a lucratividade da empresa

Em um negócio, praticamente todos os esforços caminham para um único sentido, que é o da rentabilidade. O objetivo principal é fazer com que o empreendimento “se pague” e renda frutos. Mas você sabe como medir a lucratividade da empresa? Se a resposta for não, preste atenção neste artigo, pois vamos explicar como esse cálculo pode ser feito e de que forma ele ajuda em termos de sustentabilidade.

E nós falamos em sustentabilidade porque o lucro vai além da necessidade de pagar as contas e ter um saldo positivo a partir das receitas. A lucratividade da empresa também tem a ver com a necessidade de expansão, crescimento e maturidade. Os recursos que entram no caixa não servem apenas para remunerar quem investiu no empreendimento, mas para aplicar no que os gestores consideram importante.

Em outras palavras, queremos dizer que o lucro não está ligado apenas à ambição, por mais que ela esteja no horizonte do negócio, mas com o desenvolvimento de um empreendimento que possa crescer com base em planejamento. Por isso a importância de ser sustentável.

Afinal, quem pega o lucro da empresa e, sem uma análise detalhada, gasta em qualquer coisa tem grandes chances de mergulhar em uma crise que prejudicará o negócio. Pelo menos é o que a história diz, com diversos exemplos no mercado para comprovar que o planejamento deve ser o norte de todo empreendedor.

Veja como calcular a lucratividade da empresa

O primeiro cálculo a ser feito é do lucro bruto, que é a diferença entre a receita obtida pelas vendas de um produto ou serviço e os custos para a execução do trabalho. Aqui entram despesas como transporte, mão de obra, alimentação e materiais.

Para facilitar, vamos utilizar um exemplo. Imagine uma empresa que teve R$ 20.000 de faturamento e R$ 16.000 de custos em um mês. Fazendo um cálculo simples de subtração, identificamos que o lucro bruto do negócio é, então, de R$ 4.000.

Na sequência, é necessário verificar a margem de lucro bruta, que é um importante dado para a empresa. É um percentual de lucratividade. A conta é assim: divida o lucro pela receita total e multiplique o resultado por 100. Aplicando ao exemplo, ficaria: R$ 4.000/R$20.000 = 0,2 x 100 = 20%.

A margem de lucro bruta, portanto, é de 20%. Por que essa informação é tão importante? Porque é esse dado que você precisa levar a um investidor ou ao banco no momento de solicitar crédito, pois é o que proporciona uma visão mais ampla da saúde do negócio.

Informar apenas o valor do lucro bruto não ajuda muito. Isso porque esse mesmo lucro de R$ 4.000 do nosso exemplo poderia, por exemplo, sair da diferença entre uma receita de R$ 50.000 e uma despesa de R$ 46.000. Esse resultado daria uma margem de lucro bruta de 8%, bem abaixo dos 20% anteriores.

Margem de lucro líquida

Nesse processo de análise da lucratividade da empresa, outro cálculo que precisa ser feito é do lucro líquido, que, além das despesas operacionais, considera também tributação e despesas fixas e variáveis, como impostos sobre faturamento, tributação e encargos sobre folha e outros, aluguel ou manutenção da sede, telefone, água, luz e internet. O cálculo é este: Margem líquida = Lucro líquido após os impostos/Receita total x 100.

Levando ao nosso exemplo anterior, a conta fica assim: a empresa tem receita de R$ 20.000, despesa de R$ 16.000, R$ 300 de impostos e R$ 800 de despesas fixas e variáveis. O lucro líquido é de R$ 2.900. Já a margem líquida é: R$ 2.900/R$ 20.000 x 100: 14,5%.

Com a margem líquida, você pode identificar quanto sobra do valor cobrado pelos produtos ou serviços. Dessa forma, verifica-se que a cada R$ 100, R$ 85,50 são utilizados para impostos e despesas, sobrando R$ 14,50.

Como você pode ver, esses cálculos não são um bicho de sete cabeças. Então, se você ainda não aplica eles ao seu negócio, comece agora mesmo. Sua empresa só terá a ganhar em termos de planejamento e organização.

Por falar em organização, a Troco Simples tem uma solução para ajudar você a lidar com o troco e, assim, evitar dores de cabeça com os clientes no momento do pagamento, além de ajudar a maximizar o lucro. Conte com a gente!

19
fev

Troca de produtos: conheça os direitos e deveres da sua empresa

A troca de produtos é um movimento que cresce consideravelmente em épocas após datas comemorativas como o Natal e o Dia das Mães, mas o fato é que durante o ano todo as lojas precisam lidar com isso. As pessoas recorrem a esse recurso por variados motivos, desde defeitos até gosto ou tamanho da peça. Mas em quais situações os comerciantes são obrigados por lei a trocar os produtos?

Pelo Código Brasileiro de Defesa do Consumidor (CDC), em caso de defeito no produto, a empresa não precisa realizar a troca imediatamente. Há exceção para os casos que envolvam itens essenciais, como uma geladeira, pois dela depende a conservação dos alimentos, sendo a substituição uma maneira de evitar prejuízos ainda maiores. No entanto, essas situações devem ser avaliadas separadamente, pois o CDC não estabelece o conceito do que é realmente essencial.

A lei prevê um prazo de 30 dias para solucionar o problema. Depois disso, o consumidor pode escolher entre a substituição do produto por outro da mesma espécie em perfeitas condições de uso; a restituição imediata da quantia paga, monetariamente atualizada, sem prejuízo de eventuais perdas e danos; ou ainda o abatimento proporcional do preço.

Se o consumidor optar pela troca e a empresa não tiver mais esse produto disponível ou nenhum que esteja de acordo com as necessidades, a substituição pode ser feita por outro produto, de marca ou modelo diferente. Para isso, será necessário acertar a eventual diferença no valor.

Casos de troca de produtos que dependem da empresa

Por outro lado, se o produto estiver adequado para consumo, ou seja, em perfeitas condições de uso, não há obrigatoriedade de troca por parte da empresa. É o caso, por exemplo, de um presente que a pessoa já tinha ou de uma peça de vestuário que acabou não servindo.

Não há defeito algum no produto, mas pessoa que comprou ou recebeu de presente não poderá utilizar ou deixará de lado por não ter gostado. Nessas situações, portanto, depende de o comerciante incluir em sua política a substituição dos itens, mediante regras previamente estabelecidas.

Essas regras podem incluir o prazo para a troca dos produtos ou as condições para que eles sejam substituídos quando não há defeito, como apresentar a etiqueta em caixa e a peça dentro da embalagem na qual foi vendida. Além disso, esse procedimento também pode ser limitado a determinados itens.

No entanto, se a empresa se comprometer em realizar a troca, ele terá de cumprir com a promessa. Fazer propaganda enganosa pode dar uma dor de cabeça muito maior e um grande prejuízo financeiro por conta da imagem arranhada.

Por falar em imagem, realizar a troca do produto mesmo que ele não apresente defeito é uma forma de as lojas conquistarem seu público por meio de uma vantagem. É uma forma de fidelização que pode surtir efeito dentro de um mercado cada vez mais competitivo e acirrado como o de hoje.

Imagine que um consumidor tenha comprado presentes de Natal para toda família e acabou descobrindo que algumas camisetas não serviram. Se ele for até a loja para tentar trocar e não conseguir, se sentirá extremamente frustrado e com um prejuízo nas mãos. Por mais que o comerciante esteja amparado na lei, ele deve pensar que o custo que pode ter com a troca não se compara com o da perda de um cliente.

E na sua loja, como funciona? Existe uma política específica de troca de produtos? Se a resposta for não, comece a elaborar uma agora mesmo, pois, como falamos, trata-se de um benefício ao consumidor, algo que ajudará a manter esse cliente. Além disso, não podemos encerrar este artigo sem reforçar a importância de estar bem preparado também quando o assunto é o troco. E para isso, você sabe: conte com o aplicativo Troco Simples! Com ele, você facilita a sua vida e a do seu cliente também!

5
fev

Seu bolso mais feliz: entenda a importância de pesquisar preços

É comum que muitas pessoas, quando desejam comprar um determinado produto, na ansiedade de levar o tão sonhado bem para casa o mais rápido possível, acabem cometendo um grave erro: comprar na primeira loja, sem antes verificar opções em outros locais. Como consequência, podem adquirir produtos mais caros e, muitas vezes, com qualidade inferior à desejada. Para evitar que isso aconteça, pesquisar preços é a prática mais indicada por especialistas para quem deseja economizar e garantir mercadorias de qualidade.

Afinal, há sempre a possibilidade de encontrarmos aquilo que queremos com valores mais convidativos ou similares com as mesmas características ou funcionalidades. Mas qual a melhor maneira de se fazer isso e garantir o melhor custo-benefício? Bom, é isso que vamos contar para você neste artigo.

Descubra como pesquisar preços para ter o melhor custo-benefício

Existem diversas técnicas para pesquisar preços e economizar. Para facilitar, separamos alguns dos produtos mais comprados mundo a fora e, com base neles, vamos explicar qual é a melhor maneira de adquiri-los por um valor que cabe no seu bolso. Veja!

1. Eletrônicos, eletrodomésticos, móveis e outros itens de maior valor

Para esses produtos, a internet é uma ótima aliada na busca do melhor preço. Isso porque estamos falando de um bem de valor maior e realizando esse tipo de pesquisa é possível encontrar uma grande riqueza de detalhes. Além disso, fica mais simples comparar um produto com o outro. Para isso, você pode contar com algumas ferramentas, como Google Shopping Brasil, BuscaPé, Shopping UOL e JáCotei.

2. Remédios

O ideal é ir em pelo menos três estabelecimentos antes de comprar qualquer remédio, sendo ele genérico ou não. Para você ter uma ideia, uma pesquisa realizada pelo Procon de São Paulo, em 2016, aponta que os genéricos são, em média, 57% mais baratos que os remédios de marca. No entanto, a diferença de preço entre eles pode passar de 1.200%. Embora esses dados tenham sido obtidos no mercado farmacêutico de São Paulo, fica o alerta para todas as regiões. Afinal, essa diferença pode ser encontrada em todo o país.

3. Itens de Supermercado

Se você é o tipo de pessoa que realiza compras mensais, sempre reserve algumas horas para checar valores. Para facilitar a busca, foque nos itens mais caros, como carnes e verduras, pois a probabilidade de gastar mais com esses produtos é maior. Outra dica valiosa é pesquisar quais as frutas de cada estação. Assim, é possível economizar, variar o cardápio e se deliciar com frutas fresquinhas. Mesmo que você compre semanalmente ou de acordo com a necessidade, a pesquisa que sugerimos acima também é válida. A única diferença é que existem grandes chances de encontrar itens em promoção de uma semana para outra.

4. Roupas

Na hora de comprar roupas, tente se preocupar menos com a marca e mais com a qualidade. Por exemplo: ser fiel a uma loja que fabrica um produto de alta durabilidade é uma opção bastante econômica e reduz o tempo de busca. Afinal, você já conhece o produto. Outra boa dica é ter em mente o que se precisa antes de sair de casa para comprar, assim, você pode visitar as lojas pesquisando o preço do modelo que precisa e não corre o risco de gastar mais que o necessário.

Seguindo essas dicas para pesquisar preços, pode ter certeza que o seu bolso ficará muito mais feliz!

Conte com a Troco Simples na hora de economizar

Já que o assunto é pesquisar preços e economizar, garantindo sempre o melhor custo-benefício, não podemos deixar de indicar uma ferramenta que fará uma grande diferença na sua vida e na maneira que você enxerga o seu troco. Muitos consumidores ficam extremamente irritados quando o estabelecimento não tem o troco exato para devolver ou, ainda, detestam ter aquele monte de moedas na carteira ou na bolsa, não é mesmo? Se você se identifica com isso, fique atento ao que vamos falar agora!

O Troco Simples é um aplicativo inteligente que vai fazer o seu troco render. Ou seja, além de acabar com o acúmulo de moedas, ele pode render um dinheiro extra para você. Para isso, basta ficar atento aos seguintes passos:

1º passo: Cadastre-se e compre com dinheiro

Depois de fazer o seu cadastro no nosso site, toda vez que você fizer uma compra em dinheiro nos estabelecimentos credenciados, terá a oportunidade de movimentar o seu aplicativo, ganhar pontos, e, principalmente, fazer o seu troco render.

2º passo: Receba o troco no aplicativo

Se houver troco na compra realizada, peça para que o caixa credite na sua conta Troco Simples. Assim, você ficará livre de moedas, seu dinheiro ficará seguro e estará rendendo até 0,5% ao mês, de acordo com a quantidade acumulada.

3º passo: Movimente a sua conta

Além de fazer as suas moedas renderem um dinheiro extra, você também acumula pontos toda vez que utiliza o aplicativo. Com esses pontos, você pode trocar tanto por dinheiro quanto por benefícios nos estabelecimentos parceiros.

4º passo: Desfrute do seu saldo

Com o saldo acumulado no Troco Simples, é possível trocar por prêmios e ofertas. Mas mais que isso, você também poderá pagar boletos, transferir o saldo para a sua conta bancária ou cartão de crédito, recarregar o celular, pagar estabelecimentos, comprar games e muito mais!

Muito bom, não é mesmo? Que tal aproveitar essa oportunidade para poupar o seu dinheiro, fazê-lo render e ainda ter acesso a vantagens exclusivas que facilitarão o seu dia a dia? Venha fazer parte do Troco Simples! E se você estiver com alguma dúvida, é só entrar em contato com a gente e iremos ajudá-lo no que for necessário.

21
dez

Seis dicas para melhorar o atendimento na sua loja

Um bom atendimento vai muito além de ser bem-educado com o seu público. Existem diversos fatores que impactam na sua relação com o consumidor e que contribuem na hora da fidelizá-lo. Por exemplo: aqui na Troco Simples, nós prezamos muito por um atendimento de qualidade e que realmente facilite a vida do nosso cliente. E uma maneira que encontramos para isso é indicar às pessoas cadastradas em nosso aplicativo os comerciantes que também estão por lá. Mas, claro, esta é apenas uma das nossas atitudes para garantir um bom relacionamento com nosso público, pois existem outras dicas para melhorar o atendimento.

Dicas para melhorar o atendimento

Para ajudar você nessa missão, listamos seis dicas para melhorar o atendimento na sua loja e para que, consequentemente, você alcance a excelência nesse quesito. Acompanhe!

1. Trate seu cliente com cordialidade

Pode parecer algo óbvio, mas você se surpreenderia com a quantidade de pessoas que tratam mal seus clientes. Portanto, uma das primeiras regras é sempre ser atencioso e simpático com o consumidor. Não é à toa que existe aquele ditado que “a primeira impressão é a que fica”. E, com certeza, você quer passar uma boa imagem desde o começo, certo? Então, mostre ao seu cliente o quanto ele é importante para a sua loja, ouvindo atentamente o que ele tem a dizer para que possa ajudá-lo com as melhores soluções.

2. Entenda o problema do consumidor e busque a melhor solução

É muito comum o consumidor chegar na sua loja com um problema e ter dificuldade para explicar precisamente o que ele quer. Desse modo, cabe a você, por meio de um atendimento qualificado, entender o que ele precisa e oferecer o produto ou serviço que melhor irá ajudá-lo. É indispensável que o atendente conheça a fundo tudo que o seu negócio tem a oferecer, domine as ferramentas (quando for o caso) e saiba exatamente como são os processos. Para isso, é ideal treinar a sua equipe antes mesmo dela começar a trabalhar e, quando houver novidades, é essencial repassar as informações detalhadas para os colaboradores. Assim, você garante que os seus atendendentes tenham o preparo adequado e contribuam efetivamente com soluções que vão deixar seus clientes satisfeitos.

3. Nunca deixe o seu cliente desamparado

Dependendo do problema do seu cliente, às vezes não é possível apresentar uma solução imediatamente. Existem casos em que a resposta depende de outros setores e departamentos ou até mesmo de consultas técnicas que levam algum tempo para apresentar uma solução precisa. Nesse meio tempo, é importante não deixar seu cliente sem resposta. Explique a ele o porquê da demora e marque uma hora para que você possa retornar com a solução. E atenção: nunca se esqueça desse compromisso! Dessa maneira, o cliente sempre se sentirá amparado e perceberá o quanto você se empenhou em buscar a melhor solução para a necessidade dele.

4. Crie formas para que os clientes enviem feedbacks

Nem sempre é possível agradar a todos, mas há sempre uma maneira de aprender com os erros. Então, para garantir que você descubra as experiências boas e ruins dos seus clientes, crie um método fácil para eles darem feedback. Pode ser uma pesquisa telefônica ao fim de um atendimento, um questionário por e-mail enviado diretamente da sua ferramenta de CRM ou um formulário na página “Contato” do seu site. O mais importante é ter essa opção à disposição do cliente, estar aberto aos feedbacks — positivos ou negativos — e aprender com as sugestões para fazer o seu negócio prosperar.

5. Surpreenda o seu cliente

Mesmo que você ofereça um atendimento exemplar e tenha clientes plenamente satisfeitos, esteja constantemente pensando em maneiras de surpreendê-los. Seja proativo, antecipe problemas, personalize seus produtos ou serviços. Procure seus clientes para saber o quão felizes eles estão com a solução apresentada. Faça com que eles saibam que são lembrados e, principalmente, valorizados. Oferecer brindes, serviços exclusivos ou quaisquer outros tipos de “mimos” é uma ótima maneira de mostrar que seus clientes são realmente importantes. Assim, você conseguirá fãs fiéis à sua loja e que, espontaneamente, farão propaganda do seu negócio. Esse pode ser um grande diferencial para a sua loja.

6. Invista em tecnologia

Bom, a tecnologia está aí para nos ajudar, não é mesmo? Por isso, é muito importante ficar de olho nas novidades que aparecem no mercado e avaliar se são interessantes para o seu negócio. Esta pode ser uma ótima maneira de facilitar a sua vida e a do seu cliente também. O Troco Simples é um grande exemplo disso. Afinal, sabemos bem como comerciantes sofrem na hora de dar o troco para os seus clientes e o quanto isso, muitas vezes, causa um certo estresse nos consumidores. Sendo assim, nosso aplicativo visa solucionar esse problema. Com ele, é possível pagar o cliente digitalmente, basta cadastrar a sua empresa e gerar um boleto no valor que você quer ter disponível no sistema como troco. Dessa forma, você não precisa se preocupar com as moedas e cédulas no seu caixa, porque é só ir creditando o valor do troco diretamente no CPF do seu cliente.

Agora, que tal colocar nossas dicas em prática, garantir um excelente atendimento e ainda fidelizar clientes? E se você tiver alguma outra dica que não mencionamos aqui, compartilhe com a gente e conte como ela ajuda você a melhorar o atendimento da sua loja. Estamos ansiosos para saber!