junho 2018

28
jun

Saiba como tornar o atendimento mais rápido na sua empresa

A correria do dia a dia atualmente tem limitado bastante o tempo dedicado às compras, até mesmo aquelas essenciais. Entrar em uma loja sem calcular o tempo que pretende passar nela virou luxo e os minutos passaram a ser contados. Há até mesmo aqueles que já definem exatamente o que comprar e a quantidade do produto antes mesmo de colocar o pé na rua. Por isso, tornar o atendimento mais rápido passou a ser fundamental no comércio.

Os consumidores têm como objetivo chegar ao estabelecimento, comprar aquilo que foi previamente escolhido e sair. Simples e o mais rápido possível. Acontece que nem sempre os planos saem conforme o planejado.

Ou a loja está cheia, ou a fila está muito grande, ou, ainda, não há troco no caixa e o que era para ser uma compra rápida e sem complicações acaba se tornando motivo de dor de cabeça para o cliente. O resultado provável: ele não pisa mais na loja.

Para não ser você o empreendedor a causar dor de cabeça no consumidor e muito menos perder um bom cliente por conta da demora no atendimento, nós elencamos neste artigo algumas dicas capazes de otimizar o atendimento. Além disso, com essas ações você consegue expandir as suas vendas.

Então, como tornar o atendimento mais rápido e ser um sucesso entre os clientes que correm contra o tempo? Confira!

Invista no treinamento dos seus colaboradores

Há quem coloque o treinamento de colaboradores na lista de gastos, o que é um erro. Qualificar os funcionários é um investimento que resulta não apenas na otimização do atendimento, mas faz com que ele seja ágil e assertivo.

Uma equipe educada, atenciosa, simpática e disposta a dar atenção ao consumidor pode ser um dos diferenciais do estabelecimento. Além disso, a qualificação dos funcionários faz com que pequenos detalhes não passem despercebidos, como a manutenção do relacionamento com o cliente.

Por exemplo, imagine que sua loja está cheia em uma data comemorativa, como o dia dos namorados. Em geral, as pessoas sabem que o famoso “deixar para a última hora” irá resultar em um movimento acima do normal, mas um detalhe aparentemente insignificante como a atenção dispensada a esse cliente pelo vendedor, pode gerar impacto negativo.

Evite os gargalos de espera

Quem nunca ouviu que, em São Paulo, as pessoas já nascem acostumadas com filas? Pura enganação. Se tem uma coisa que qualquer consumidor, em qualquer cidade do país, não suporta são as temíveis e, em alguns casos, intermináveis filas.

Elas são capazes, inclusive, de acabar com uma venda e com todo o esforço realizado pela loja para atrair e conquistar aquele cliente. Ou seja, todas as estratégias de marketing, venda e bom atendimento durante a negociação caem por terra se o cliente se deparar com uma fila gigantesca na hora de pagar.

O fechamento do negócio precisa ser tão ou mais eficiente do que todos os outros processos que o antecederam. Cordialidade, agilidade e assertividade são palavras-chave neste momento. Portanto, é fundamental que você crie mecanismos para que o atendimento mais rápido seja possível, diminuindo o tempo de espera.

Como fazer isso? Essa é uma ação que varia muito de acordo com o espaço e os processos internos da sua loja, mas uma opção é distribuir a fila em vários caixas ou então espalhar setores de pagamento em diferentes locais do estabelecimento de acordo com seu segmento.

Atendimento mais rápido é atendimento objetivo

Sabendo que o tempo do seu cliente é precioso e também tendo consciência da importância de um atendimento atencioso, como equilibrar rapidez e objetividade com atenção?

É claro que o cliente deseja ter todas as possíveis dúvidas sanadas e sentir-se confortável para comprar com mais segurança o produto que procura, mas, ao mesmo tempo, ele tem pressa. Portanto, os colaboradores precisam estar atentos para não ultrapassar o limite da atenção.

Use a tecnologia a seu favor

A tecnologia está aí para facilitar a vida de todo mundo e, para sua loja não é diferente. Agilidade e rapidez no atendimento podem ser potencializadas se os setores do seu comércio estiverem interligados e informatizados. Cadastro de produtos, de clientes já fidelizados, dados padrões de pagamentos. A automatização desses processos facilita o acesso às informações, tornando o atendimento mais rápido, além de diminuir significativamente as chances de erros cometidos pelos funcionários.

Não perca clientes por falta de troco

Ao chegar no caixa para pagamento, a surpresa: o funcionário abre a caixa registradora e nada de troco. “Vou ali na loja ao lado trocar, só um minuto”. Você já deve ter passado por essa situação e provavelmente se sentiu incomodado.

Sabendo o quanto essa é uma situação chata e evitável, não repita o mesmo erro na sua loja. E, mais uma vez, você pode trazer a tecnologia para jogar no seu time evitando que clientes desistam a compra pela falta de troco.

Pensando nisso, a Troco Simples criou uma solução inteligente para que a sua loja não passe por essa situação. Com nosso aplicativo, os comerciantes cadastrados podem oferecer o troco em crédito diretamente no CPF do cliente. Os valores têm rendimentos com juros e outras vantagens, como prêmios e a possibilidade de converter o troco em crédito para o celular, por exemplo.

Conheça o Troco Simples e acabe de vez com o desconforto de não ter troco para atender o seu cliente. Gostou das nossas dicas? Compartilhe este artigo com seus amigos e deixe seu comentário!

21
jun

Entenda a função do controle de estoque no comércio e como fazê-lo corretamente

Compreender o papel estratégico da gestão do controle de estoque é um grande desafio para os empreendedores. Sua importância está no fato de que, por meio dele, torna-se possível controlar os gastos desnecessários ou a falta de mercadorias, o que prejudicaria o capital de giro da empresa.

O conceito de controle de estoque envolve o registro, a fiscalização e a gestão das entradas e saídas de matérias-primas, mercadorias produzidas ou vendidas por uma empresa. Durante esse processo, o responsável deve se preocupar com as classificações de cada item segundo diferentes critérios.

Alguns critérios básicos que podem ser identificados são: marca, tipo, cor, tamanho, opcionais, acessórios e variações, dimensões e características físicas, preço de custo e de venda, volume acumulado, ciclo de vida ou prazo de validade e informações dos fornecedores, quando for o caso.

Fiscalizar o estoque significa controlar para evitar perdas e extravios. No caso de produtos perecíveis, por exemplo, há preocupações relacionadas ao prazo de validade, o que acaba limitando as possibilidades de venda. Esta etapa do controle de estoque ainda deve incluir as Informações prestadas ao governo, para o cálculo de impostos como o ICMS e o IPI, que é o caso das indústrias e do comércio atacadista.

A gestão de todas essas informações incorpora ainda a medição de indicadores como o giro de estoque ou rotatividade, que revelam a velocidade em que o inventário foi renovado em um determinado período e qual é o tempo médio que um produto permanece armazenado antes de ser vendido.

Além de otimizar investimentos em mercadorias armazenadas, a gestão busca o equilíbrio do estoque com o ritmo das vendas, projeta o volume de saídas e de pedidos a fornecedores, define a velocidade da produção e da renovação do estoque e disponibiliza informações estratégicas sobre o que está vendendo mais e o que tem menos procura.

Como fazer o controle de estoque

Cada negócio tem um tipo específico de estoque, mas, de maneira geral, os empreendedores devem investir em planilhas e sistemas automatizados de controle para evitar que a organização seja feita manualmente, o que agiliza o processo e evita erros. O passo seguinte é a avaliação do local. Verificar a ventilação, o estado do piso, os possíveis riscos de acidentes e as medidas para evitá-los.

Com o estoque montado, é importante estabelecer relações de confiança com seus fornecedores. Na hora de escolher de quem comprar, além do preço, o empreendedor deve analisar o histórico, certificações, limpeza e capacidade de produção. Ter mercadorias de qualidade e entregues em dia tornará muito mais fácil o controle do estoque.

Mas de nada adianta um bom sistema de controle, um local de armazenamento adequado e bons produtos se os seus funcionários não estão capacitados a lidar com o estoque. Por isso, é essencial investir tempo e dinheiro no treinamento de sua equipe. Eleger alguma liderança pode facilitar este processo.

Quem pretende fazer um controle de estoque eficiente precisa ainda de uma qualidade fundamental: disciplina. Registrar meticulosamente todas as saídas e entradas de produtos é um cuidado indispensável para o bom andamento do negócio. Isso é importante para garantir que o setor de compras possa realizar melhor seu trabalho, identificando produtos críticos pela falta de estoque, por estarem há muito tempo parados, próximos do vencimento e vencidos ou mesmo por terem tido problemas de qualidade.

Neste sentido, a realização de inventários regularmente também se faz necessária, pois ele confronta a quantidade real e a quantidade que a planilha ou sistema de controle mostram. Além de manter as informações corretas e atualizadas, o inventário ajuda a compreender o giro dos produtos no estoque.

Outra dica interessante é a integração do estoque com os demais setores da empresa. Dessa maneira, o marketing, por exemplo, pode elaborar uma campanha para escoar os produtos que estão há muito tempo parados no estoque, ou cuja validade está se aproximando do fim.
Da mesma forma, a própria força de vendas é beneficiada, pois sempre terá à disposição as informações corretas de volume de estoque. Isso evita desgastes desnecessários com os clientes, uma vez que é reduzida a chance de vender um produto esgotado, por exemplo.

E para fechar, ressaltamos a importância do uso da tecnologia no controle de estoque. Mesmo que seja possível fazê-lo manualmente, o mercado oferece diversos softwares de gestão com preços acessíveis, de acordo com a necessidade de cada empresa, que vão facilitar muito o dia a dia do seu negócio.

Como vimos, o controle do estoque é uma maneira de evitar prejuízos financeiros. Outra forma de fazer isso é por meio da gestão do troco. E, nesse ponto, a solução da Troco Simples pode ajudar sua empresa. Quer conhecer melhor? Entre em contato com nossos especialistas!

13
jun

Ainda dá tempo! Aproveite o momento da Copa para melhorar as vendas

O verde e amarelo tomou conta das ruas pelo país. O brasileiro está preparado para a Copa. Época de intensa movimentação na qual até mesmo as empresas flexibilizam horários e serviços, dando a oportunidade para colaboradores e clientes assistirem aos jogos, o evento mexe com o país. Mas, além do futebol e da torcida, esse é o momento ideal para movimentar o comércio e impulsionar as vendas.

Se engana quem pensa que são só as vendas de TVs que aumentam neste período.  É claro que elas invadem o mercado, afinal, todo mundo quer ver a bola rolando. Em 2014, por exemplo, foram mais de 15 milhões de televisores vendidos e as vendas globais para este ano devem crescer 6,4%, de acordo com dados apresentados no CES (Consumer Electronics Show), em Las Vegas.

Mas nem só de televisores é feita a Copa e por isso mesmo a expectativa é de que o comércio varejista tenha um faturamento de R$ 1,51 bilhão gerado graças ao Mundial. O levantamento da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo) estima que o aumento seja de 7,9% em relação às vendas registradas no Mundial de 2014, realizado no Brasil, quando o varejo nacional teve um faturamento extra de R$ 1,39 bilhão.

Bom, que o futebol é uma paixão nacional, não precisamos nem dizer, certo? O Brasil não é especialista no assunto apenas quando a bola rola. Por lá, dentro das quatro linhas, Gabriel Jesus, Neymar, Philippe Coutinho e companhia, comandados por Tite, têm a missão de trazer o hexa, lembrando os tempos áureos que ficaram em 2002 e ficaram escondidos depois do doloroso 7 a 1. Nas arquibancadas, o brasileiro dá um show, com direito a um dos mascotes mais queridos e famosos da internet: o canarinho pistola.

Justamente por conta de toda essa paixão é que o evento, que acontece lá do outro lado do oceano, no maior país do planeta, pode ser um ótimo momento para chamar a atenção, conquistar o público e aumentar as vendas.

Olhando as cifras que citamos fica claro que a Copa é capaz de aquecer o mercado, não é mesmo? E agora, que ela não está apenas batendo à porta, mas já com a mão na maçaneta para entrar, como aproveitar todo o marketing do Mundial para alavancar as vendas?

Neste artigo, vamos dar algumas dicas de ações que podem ajudar a aproveitar a Copa como torcedor e como empreendedor. Confira!

Use e abuse da Copa, mas com moderação

O evento é uma oportunidade e tanto para aproveitar as emoções e apostar em ações de marketing capazes de transformar a paixão por futebol em vendas. Mas é bom ter bastante cuidado com essas ações, já que a Copa é um evento organizado e registrado pela FIFA (Federação Internacional de Futebol). Ou seja, há uma série de regras estabelecidas para que alguns nomes sejam citados por aí em ações de marketing.

Para que você não escorregue e, ao invés de gerar receita com o Mundial, tenha problemas, é bom ficar atento ao uso de nomes e produtos que se encontram em situação empresarial, debaixo do guarda-chuva da FIFA.

O uso sem autorização pode gerar multas pesadas, portanto, fique atento. Entre as palavras e termos de uso exclusivo da Federação e dos patrocinadores estão: Copa do Mundo da FIFA Rússia 2018, FIFA, Copa do Mundo, Copa 2018 e Rússia 2018.

E Copa, sozinha, só ela, pode? Pode, sim! Mas cuidado para não incluir o ano 2018 ao final da frase, porque aí você estará utilizando uma das marcas registradas. E, além dos termos, imagens também fazem parte do rol de materiais oficiais, tais como: emblema oficial, pôster oficial, mascote, troféu e identidade visual das competições.

Você pode estar se perguntando por que então existem tantos textos, artigos que usam e abusam dos termos e imagens citados por aqui. Isso acontece porque todos esses materiais podem ser utilizados livremente desde que para fins editoriais de materiais jornalísticos. Agora, quando o assunto entra em um contexto publicitário de não-patrocinadores, aí torna-se infração e pode levar a sua empresa a ser acionada na justiça pela FIFA.

Portanto, atenção aos detalhes e aproveite a Copa! Mas, e as dicas? Como aproveitar o Mundial – com moderação – para aumentar as vendas? Vamos a elas!

Entre no clima e venda mais!

Que a decoração é uma estratégia certeira, todos nós sabemos. Afinal, não é à toa que as vitrines são dedicadas às datas especiais como dia dos namorados, dia das mães e Copa!

Preparar o ambiente, então, é um ponto bastante importante para fazer com que o cliente sinta que você também está no clima do Mundial, criando uma experiência completa ao consumidor. E aqui vale cartazes, faixas, bolas, troféus, bandeiras e tudo mais que for relacionado ao futebol pode criar um ambiente agradável, fazendo com que o cliente se sinta à vontade.

Envolva a Copa em promoções

Parece óbvio, mas não custa reforçar: crie promoções relacionadas à Copa. Ofertas, por si só, já atraem o público, imagine o quanto ela pode ser potencializada se estiver atrelada à paixão nacional?

E, como já dissemos por aqui, não é só TV que vende nessa época. Qualquer nicho de mercado pode ser aproveitado, o que inclui bares, restaurantes e lanchonetes.

Copa do Mundo também é tempo para presentear seus clientes

Falamos aqui que investir em uma decoração para fazer o cliente se sentir à vontade também é uma arma para criar uma experiência completa, certo? Outra estratégia capaz de fazer com que ele viva mais intensamente a Copa é presenteá-lo.

Você pode fazer isso criando souvenirs customizados e kits com itens para a Copa. Use e abuse da criatividade. O importante é mostrar que você está atento ao seu cliente e prioriza a parceria que tem com ele.

Em meio a tudo isso, não se esqueça do troco. Imagine todo mundo empolgado com uma vitória da seleção e aí chega na hora de pagar não tem mais troco. É um risco de acabar com o clima e você não pode nem brincar com isso. Então, conheça a Troco Simples e saiba o que podemos fazer para ajudar seu estabelecimento a deixar tudo perfeito para esse momento.

Gostou das dicas? Compartilhe o artigo com seus amigos e deixe seu comentário!

7
jun

Conheça as vantagens de definir e conhecer adequadamente seu público-alvo

Você realmente conhece o público-alvo do seu negócio? Tem detalhes sobre o seu perfil? Pois bem, sabemos que os clientes são as pessoas mais importantes para qualquer empresa. Desse modo, estudá-los e observar o seus comportamentos é fundamental para entender suas necessidades e saber como oferecer as melhores soluções.

No entanto, identificar o público-alvo vai muito além de descobrir quem são e o que precisam. Este processo é responsável por dar uma cara ao negócio. A empresa poderá estabelecer uma imagem própria e criar estratégias que melhor atendam às necessidades dos clientes.

Definição de público-alvo

A definição do público-alvo precisa ser encarada como um fator primordial no planejamento da empresa, podendo passar por readequações ao longo do tempo, conforme as necessidades e o perfil de cada negócio. Ter detalhes sobre seus clientes certamente ajudará a estruturar melhor os objetivos comerciais e de marketing.

Especificar e conhecer bem o produto ou serviço que sua empresa oferece ao mercado é o início do caminho. É necessário ter certeza do que ela faz para poder explicar os benefícios aos clientes. Para entender quem é o seu público-alvo, em primeiro lugar, o empreendedor precisa responder a duas questões:

  1. Por que as pessoas se beneficiariam do seu produto ou serviço?
  2. Quem são essas pessoas?

Para compreender os benefícios, o empresário precisa começar descobrindo qual o problema seu produto ou serviço é capaz de solucionar. A partir disso, deve encontrar algum diferencial em relação aos concorrentes e começar a pensar em um nicho de mercado que esteja sendo pouco explorado.

Seguindo, deve conseguir identificar qual o perfil das pessoas que mais costumam ter o problema que o seu produto é capaz de resolver. Feito isso, será possível encontrar os pontos em comum.

Finalmente, o empreendedor deve se perguntar se existem grupos distintos que podem utilizar seus produtos de maneiras diversas. Neste ponto, é importante perceber se existem nichos de compradores diferentes aos quais prestar atenção, baseado em suas necessidades. E, com isso, determinar se a empresa tem condições de atender a todos ou se é necessário focar em algum especificamente.

Não tenha medo de ser específico. Pode ser que em alguns casos seu público seja extenso e de diferentes nichos. Mas lembre-se, quanto maior for o público-alvo, mais trabalho e gastos você terá. Portanto, para quem está começando um negócio, o mais indicado é escolher um único grupo e trabalhar em cima dele. Como já dissemos, isso pode mudar com o tempo, então, na medida em que a sua empresa se desenvolver, estas definições poderão ser alteradas.

É preciso ser detalhista e saber quem são estas pessoas. E a melhor forma de fazer isso é por meio das pesquisas. Mas não se engane com formulários prontos, como se eles funcionassem do mesmo modo para todas as empresas. Crie o seu próprio questionário, com perguntas direcionadas e solicitações de informações que sejam realmente relevantes ao seu negócio. Alguns exemplos de questões poderiam ser:

  • Qual a profissão, renda mensal, escolaridade?
  • Que tipo de atividades costuma realizar?
  • Onde costuma buscar informações?
  • Quais serviços ou produtos consome regularmente?
  • Quais as formas de pagamento mais utilizam?

O questionário pode ser feito pessoalmente ou disponibilizado na internet, de forma que o público consiga respondê-lo com mais calma e atenção. Muitas vezes, as pessoas têm dificuldade com perguntas abertas. Então, uma alternativa é o formato de múltipla escolha. Assim, você conseguirá um volume maior de informações que sejam facilmente analisadas.

Ter uma boa definição do público-alvo irá permitir que o empreendedor melhore vários aspectos da sua comunicação com os clientes. E isso inclui a identidade e a linguagem da empresa, os tipos de conteúdo a serem produzidos, os canais de vendas, as promoções, possíveis alterações e melhorias no produto e até mesmo a forma como planejar o troco.   

Talvez você ainda não tenha se dado conta, mas a definição de um público-alvo também vai definir as formas mais comuns que um estabelecimento recebe o seu dinheiro. De acordo com o tipo de produtos ou serviços oferecidos, o pagamento será, em grande parte, feito de um determinado modo.

No caso do comércio que recebe a maioria dos seus pagamentos em dinheiro vivo, conhecer o público é fundamental para planejar o troco. Ou seja, definir um valor para abrir o caixa diariamente.

Mas, sabemos que isso tudo não é simples. Se você não quer ter mais problemas com a falta de troco, nem ficar no prejuízo ou desfalcar seus clientes, pense na solução da Troco Simples. Nosso aplicativo consegue fazer o troco valer dinheiro na compra de outros produtos. Isso representa mais vendas e menos desperdício. Converse com a gente e conheça melhor nossos serviços.